Em formação

15.3: Glossário - O sistema endócrino - Biologia


acromegalia distúrbio em adultos causado quando níveis anormalmente elevados de GH desencadeiam o crescimento dos ossos do rosto, mãos e pés

adenilil ciclase Enzima ligada à membrana que converte ATP em AMP cíclico, criando cAMP, como resultado da ativação da proteína G

córtex adrenal região externa das glândulas supra-renais que consiste em várias camadas de células epiteliais e redes capilares que produzem mineralocorticóides e glicocorticóides

glândulas adrenais glândulas endócrinas localizadas na parte superior de cada rim que são importantes para a regulação da resposta ao estresse, pressão arterial e volume sanguíneo, homeostase da água e níveis de eletrólitos

medula adrenal camada interna das glândulas adrenais que desempenha um papel importante na resposta ao estresse, produzindo epinefrina e norepinefrina

hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) hormônio da hipófise anterior que estimula o córtex adrenal a secretar hormônios corticosteroides (também chamados de corticotropina)

enzima conversora de angiotensina a enzima que converte angiotensina I em angiotensina II

hormônio antidiurético (ADH) hormônio hipotalâmico que é armazenado pela hipófise posterior e que sinaliza aos rins para reabsorver água

reação de alarme o estresse de curto prazo, ou a resposta de lutar ou fugir, do estágio um da síndrome de adaptação geral mediada pelos hormônios epinefrina e norepinefrina

aldosterona hormônio produzido e secretado pelo córtex adrenal que estimula a retenção de sódio e líquidos e aumenta o volume sanguíneo e a pressão arterial

célula alfa Tipo de célula das ilhotas pancreáticas que produz o hormônio glucagon

autócrino sinal químico que induz uma resposta na mesma célula que o secretou

célula beta tipo de célula da ilhota pancreática que produz o hormônio insulina

calcitonina hormônio peptídico produzido e secretado pelas células parafoliculares (células C) da glândula tireoide que atua diminuindo os níveis de cálcio no sangue

cromafins células neuroendócrinas da medula adrenal

colóide fluido viscoso na cavidade central dos folículos tireoidianos, contendo a glicoproteína tireoglobulina

cortisol glicocorticóide importante na gliconeogênese, o catabolismo do glicogênio e a regulação negativa do sistema imunológico

monofosfato de adenosina cíclico (cAMP) segundo mensageiro que, em resposta à ativação da adenilil ciclase, desencadeia uma cascata de fosforilação

célula delta tipo de célula menor no pâncreas que secreta o hormônio somatostatina

diabetes mellitus condição causada pela destruição ou disfunção das células beta do pâncreas ou resistência celular à insulina que resulta em níveis anormalmente elevados de glicose no sangue

diacilglicerol (DAG) molécula que, como cAMP, ativa as proteínas quinases, iniciando assim uma cascata de fosforilação

desregulação diminuição no número de receptores de hormônio, normalmente em resposta a níveis cronicamente excessivos de um hormônio

glândula endócrina tecido ou órgão que secreta hormônios no sangue e na linfa sem dutos, de modo que possam ser transportados para órgãos distantes do local de secreção

sistema endócrino células, tecidos e órgãos que secretam hormônios como função primária ou secundária e desempenham um papel integral nos processos corporais normais

epinefrina hormônio catecolamínico primário e mais potente secretado pela medula adrenal em resposta ao estresse de curto prazo; também chamado de adrenalina

estrogênios classe de hormônios sexuais predominantemente femininos importantes para o desenvolvimento e crescimento do trato reprodutivo feminino, características sexuais secundárias, o ciclo reprodutivo feminino e a manutenção da gravidez

sistema exócrino células, tecidos e órgãos que secretam substâncias diretamente para os tecidos-alvo via dutos glandulares

primeiro mensageiro hormônio que se liga a um receptor de hormônio da membrana celular e desencadeia a ativação de um sistema de segundo mensageiro

hormônio folículo estimulante (FSH) hormônio da hipófise anterior que estimula a produção e maturação das células sexuais

Proteína G proteína associada a um receptor de hormônio da membrana celular que inicia a próxima etapa em um sistema de segundo mensageiro após a ativação por ligação hormônio-receptor

síndrome de adaptação geral (GAS) o padrão de resposta de três estágios do corpo humano ao estresse de curto e longo prazo

gigantismo distúrbio em crianças causado quando níveis anormalmente elevados de GH provocam crescimento excessivo

glucagon hormônio pancreático que estimula o catabolismo de glicogênio em glicose, aumentando assim os níveis de glicose no sangue

glicocorticóides hormônios produzidos pela zona fasciculada do córtex adrenal que influenciam o metabolismo da glicose

bócio aumento da glândula tireóide como resultado de deficiência de iodo ou hipertireoidismo

gonadotrofinas hormônios que regulam a função das gônadas

hormônio do crescimento (GH) hormônio da hipófise anterior que promove a construção de tecidos e influencia o metabolismo de nutrientes (também chamado de somatotropina)

hormônio secreção de um órgão endócrino que viaja através da corrente sanguínea ou linfática para induzir uma resposta em células ou tecidos alvo em outra parte do corpo

receptor de hormônio proteína dentro de uma célula ou na membrana celular que se liga a um hormônio, iniciando a resposta da célula-alvo

hiperglicemia níveis anormalmente altos de glicose no sangue

hiperparatireoidismo distúrbio causado por superprodução de PTH que resulta em cálcio no sangue anormalmente elevado

hipertireoidismo nível clinicamente anormal, elevado de hormônio tireoidiano no sangue; caracterizado por um aumento da taxa metabólica, excesso de calor corporal, sudorese, diarreia, perda de peso e aumento da frequência cardíaca

hipoparatireoidismo distúrbio causado pela subprodução de PTH que resulta em níveis anormalmente baixos de cálcio no sangue

sistema portal hipofisário rede de vasos sanguíneos que permite que os hormônios hipotalâmicos viajem para o lobo anterior da hipófise sem entrar na circulação sistêmica

hipotálamo região do diencéfalo inferior ao tálamo que funciona na sinalização neural e endócrina

hipotireoidismo clinicamente anormal, baixo nível de hormônio tireoidiano no sangue; caracterizado por baixa taxa metabólica, ganho de peso, extremidades frias, constipação e atividade mental reduzida

infundíbulo haste contendo vasculatura e tecido neural que conecta a glândula pituitária ao hipotálamo (também chamada de haste hipofisária)

inibina hormônio secretado pelas gônadas masculina e feminina que inibe a produção de FSH pela hipófise anterior

trifosfato de inositol (IP3) molécula que inicia a liberação de íons de cálcio dos depósitos intracelulares

insulina hormônio pancreático que aumenta a captação e utilização celular de glicose, diminuindo assim os níveis de glicose no sangue

fatores de crescimento semelhantes à insulina (IGF) proteína que aumenta a proliferação celular, inibe a apoptose e estimula a absorção celular de aminoácidos para a síntese de proteínas

hormônio luteinizante (LH) hormônio da hipófise anterior que desencadeia a ovulação e a produção de hormônios ovarianos nas mulheres e a produção de testosterona nos homens

melatonina hormônio derivado de aminoácido que é secretado em resposta à luz baixa e causa sonolência

mineralocorticóides hormônios produzidos pelas células da zona glomerulosa do córtex adrenal que influenciam o equilíbrio de fluidos e eletrólitos

hipotireoidismo neonatal condição caracterizada por déficits cognitivos, baixa estatura e outros sinais e sintomas em pessoas nascidas de mulheres com deficiência de iodo durante a gravidez

norepinefrina hormônio catecolamínico secundário secretado pela medula adrenal em resposta ao estresse de curto prazo; também chamada de noradrenalina

osmorreceptor receptor sensorial hipotalâmico que é estimulado por mudanças na concentração de soluto (pressão osmótica) no sangue

oxitocina hormônio hipotalâmico armazenado na glândula pituitária posterior e importante para estimular as contrações uterinas no trabalho de parto, ejeção do leite durante a amamentação e sentimentos de apego (também produzidos em homens)

pâncreas órgão com funções exócrinas e endócrinas localizadas posteriormente ao estômago que é importante para a digestão e a regulação da glicose no sangue

Ilhéus pancreáticos aglomerados especializados de células pancreáticas com funções endócrinas; também chamadas de ilhotas de Langerhans

paracrino sinal químico que induz uma resposta em células vizinhas; também chamado de fator parácrino

glândulas paratireoides pequenas glândulas redondas embutidas na glândula tireoide posterior que produzem o hormônio da paratireoide (PTH)

hormônio da paratireóide (PTH) hormônio peptídico produzido e secretado pelas glândulas paratireoides em resposta aos baixos níveis de cálcio no sangue

fosfodiesterase (PDE) enzima citosólica que desativa e degrada cAMP

cascata de fosforilação evento de sinalização em que várias proteínas quinases fosforilam o próximo substrato de proteína por meio da transferência de um grupo fosfato de ATP para a proteína

Glândula pineal glândula endócrina que secreta melatonina, importante na regulação do ciclo sono-vigília

pinealócito célula da glândula pineal que produz e secreta o hormônio melatonina

nanismo pituitário distúrbio em crianças causado quando níveis anormalmente baixos de GH resultam em retardo de crescimento

glândula pituitária órgão do tamanho de um feijão suspenso no hipotálamo que produz, armazena e secreta hormônios em resposta à estimulação hipotalâmica (também chamada de hipófise)

Célula PP tipo de célula menor no pâncreas que secreta o hormônio polipeptídeo pancreático

progesterona hormônio sexual predominantemente feminino, importante na regulação do ciclo reprodutivo feminino e na manutenção da gravidez

prolactina (PRL) hormônio da hipófise anterior que promove o desenvolvimento das glândulas mamárias e a produção de leite materno

proteína quinase enzima que inicia uma cascata de fosforilação após a ativação

segundo mensageiro molécula que inicia uma cascata de sinalização em resposta à ligação do hormônio em um receptor de membrana celular e ativação de uma proteína G

estágio de exaustão estágio três da síndrome de adaptação geral; a resposta de longo prazo do corpo ao estresse mediado pelos hormônios do córtex adrenal

estágio de resistência estágio dois da síndrome de adaptação geral; a resposta contínua do corpo ao estresse após o estágio um diminui

testosterona hormônio esteróide secretado pelos testículos masculinos e importante na maturação das células espermáticas, no crescimento e desenvolvimento do sistema reprodutor masculino e no desenvolvimento das características sexuais secundárias masculinas

glândula tireóide grande glândula endócrina responsável pela síntese dos hormônios da tireoidehormônio estimulador da tireoide (TSH) hormônio da hipófise anterior que desencadeia a secreção de hormônios da tireoide pela glândula tireoide (também chamada de tireotropina)

tiroxina (também, tetraiodotironina, T4) hormônio tireoidiano derivado de aminoácidos que é mais abundante, mas menos potente do que T3 e muitas vezes convertido para T3 por células alvo

triiodotironina (também, T3) hormônio tireoidiano derivado de aminoácidos que é menos abundante, mas mais potente do que T4

suprarregulação aumento no número de receptores de hormônio, normalmente em resposta a níveis cronicamente reduzidos de um hormônio

zona fasciculata região intermediária do córtex adrenal que produz hormônios chamados glicocorticóides

zona glomerulosa região mais superficial do córtex adrenal, que produz os hormônios chamados coletivamente de mineralocorticóides

zona reticularis região mais profunda do córtex adrenal, que produz os hormônios sexuais esteróides chamados andrógenos


36 4.3 Hormônios e o sistema endócrino

O sistema endócrino produz hormônios que funcionam para controlar e regular muitos processos corporais diferentes. O sistema endócrino se coordena com o sistema nervoso para controlar as funções dos outros sistemas orgânicos. As células do sistema endócrino produzem sinais moleculares chamados hormônios. Essas células podem compor glândulas endócrinas, podem ser tecidos ou podem estar localizadas em órgãos ou tecidos que têm funções além da produção de hormônios. Os hormônios circulam por todo o corpo e estimulam uma resposta nas células que possuem receptores capazes de se ligar a eles. As mudanças ocorridas nas células receptoras afetam o funcionamento do sistema orgânico ao qual pertencem. Muitos dos hormônios são secretados em resposta a sinais do sistema nervoso, portanto, os dois sistemas atuam em conjunto para efetuar mudanças no corpo.


15.3: Glossário - O sistema endócrino - Biologia

Unidade 5: Os sistemas nervoso e endócrino 1 2 3 4 5

5. O sistema endócrino

O sistema endócrino é o outro sistema de coordenação do corpo. Está intimamente relacionado com o sistema nervoso e dependem um do outro. Às vezes, o sistema nervoso estimula ou inibe a secreção de um hormônio, e outras vezes os hormônios estimulam ou inibem a ação do sistema nervoso.

Eles controlam situações diferentes porque suas características também são diferentes:

- O sistema nervoso transmite as informações por meio do impulso nervoso

isso é um sinal elétrico enquanto o sistema endócrino transmite as informações

por meio de hormônios que são substâncias químicas.

- O impulso nervoso passa de neurônio para neurônio, enquanto os hormônios são transportados por

- O sistema nervoso atua rapidamente (milissegundos) e suas ações são curtas.

Normalmente, essa ação termina quando o estímulo desaparece. Em contraste, o sistema endócrino

age lentamente (de segundos a dias) e suas ações duram no tempo. Usualmente

esta ação continua embora o estímulo desapareça.

- O impulso nervoso tem efeitos locais, enquanto os hormônios têm efeitos gerais

que muitas vezes afetam todo o corpo.

As funções controladas pelo sistema endócrino são:

- Mobilização das defesas do corpo

- Manutenção da homeostase

O sistema endócrino é formado por várias glândulas ( glândulas endócrinas ) distribuídas por todo o corpo e que não estão conectadas entre si. Essas glândulas produzem substâncias (hormônios) que são liberadas diretamente no sangue.

UMA hormônio é uma substância química orgânica que controla a atividade de um órgão.

- Cada hormônio exerce sua ação apenas sobre um determinado tipo de célula (célula-alvo).

- É necessária muito pouca quantidade de hormônio para garantir seu efeito.

- Só são produzidos quando e durante o tempo que for necessário.

- Eles só são produzidos na quantidade ideal.

As principais glândulas endócrinas são:

- Hipotálamo. Ele está situado na base do encéfalo e está ligado à hipófise.

- Hipófise (ou glândula pituitária). É uma pequena glândula situada no encéfalo.

- Tireoide . Ele está localizado no pescoço, sob a laringe e atrás da traquéia.

- Paratireóide . É formado por quatro pequenas glândulas aderidas à tireóide.

- Cápsulas adrenais . Duas glândulas localizadas nos rins.

- Pâncreas . É uma glândula mista porque tem

dois tipos de secreção, um suco digestivo (suco pancreático) e uma secreção hormonal.

- Gônadas . Eles são testículos (machos) e ovários (fêmeas). Também são glândulas mistas porque produzem gametas (óvulos e espermatozóides) além de hormônios.


Pituitária anterior

A hipófise anterior origina-se do trato digestivo do embrião e migra em direção ao cérebro durante o desenvolvimento fetal. Existem três regiões: a pars distalis é a mais anterior, a pars intermedia é adjacente à hipófise posterior e a pars tuberalis é um delgado & ldquotube & rdquo que envolve o infundíbulo.

Lembre-se de que a hipófise posterior não sintetiza hormônios, apenas os armazena. Em contraste, a pituitária anterior fabrica hormônios. No entanto, a secreção de hormônios da pituitária anterior é regulada por duas classes de hormônios. Esses hormônios secretados pelo hipotálamo compartilham os hormônios liberadores que estimulam a secreção de hormônios da pituitária anterior e os hormônios inibidores que inibem a secreção.

Os hormônios hipotalâmicos são secretados pelos neurônios, mas entram na hipófise anterior através dos vasos sanguíneos (Figura ( PageIndex <3> )). Dentro do infundíbulo há uma ponte de capilares que conecta o hipotálamo à hipófise anterior. Esta rede, chamada de sistema portal hipofisário , permite que os hormônios hipotalâmicos sejam transportados para a pituitária anterior sem entrar primeiro na circulação sistêmica. O sistema se origina da artéria hipofisária superior, que se ramifica nas artérias carótidas e transporta sangue para o hipotálamo. Os ramos da artéria hipofisária superior formam o sistema portal hipofisário (ver Figura ( PageIndex <3> )). Os hormônios hipotalâmicos de liberação e inibição viajam através de um plexo capilar primário até as veias porta, que os levam para a pituitária anterior. Os hormônios produzidos pela hipófise anterior (em resposta aos hormônios liberadores) entram em um plexo capilar secundário e de lá drenam para a circulação.

Figura ( PageIndex <3> ): Pituitária anterior. A hipófise anterior fabrica seis hormônios. As células neurossecretoras no hipotálamo produzem hormônios separados que estimulam ou inibem a produção de hormônios na pituitária anterior. Os hormônios do hipotálamo viajam pelos neurônios axônios para o plexo capilar primário do sistema portal hipofisário localizado no infundíbulo. Os hormônios se movem através das veias porta hipofisárias no infundíbulo para o plexo capilar secundário na pituitária anterior. Os hormônios produzidos na pituitária anterior são liberados na corrente sanguínea através do plexo capilar secundário. (Crédito da imagem: & quotThe Anterior Pituitary Complex & quot by OpenStax é licenciado sob CC BY 3.0)

Seis hormônios são sintetizados na pituitária anterior. São eles o hormônio do crescimento (GH), o hormônio estimulador da tireoide (TSH), o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH), o hormônio folículo-estimulante (FSH), o hormônio luteinizante (LH) e a prolactina. Dos hormônios da pituitária anterior, TSH, ACTH, FSH e LH são coletivamente chamados de hormônios trópicos (trope- = & ldquoturning & rdquo) porque ativam ou desativam a função de outras glândulas endócrinas.

Hormônio do crescimento

O sistema endócrino regula o crescimento do corpo humano, a síntese de proteínas e a replicação celular. Um dos principais hormônios envolvidos neste processo é hormônio do crescimento (GH) , também chamado de hormônio da proteína somatotropina e mdasha, produzido e secretado pela glândula pituitária anterior. Sua função primária promove a síntese de proteínas e a construção de tecidos por meio de mecanismos diretos e indiretos envolvendo fatores de crescimento semelhantes à insulina (IGF), que também aumentam a taxa metabólica para apoiar o crescimento.

Hormônio Estimulador da Tireóide

A atividade da glândula tireóide é regulada por hormônio estimulador da tireoide (TSH) , também chamada de tirotropina. O TSH é liberado pela hipófise anterior em resposta ao hormônio liberador de tireotropina (TRH) do hipotálamo. Conforme discutido na próxima seção, ele desencadeia a secreção de hormônios da tireoide pela glândula tireoide. Em um ciclo de feedback negativo clássico, níveis elevados de hormônios tireoidianos na corrente sanguínea desencadeiam uma queda na produção de TRH e, subsequentemente, de TSH.

Hormônio adrenocorticotrópico

o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) , também chamada de corticotropina, estimula o córtex adrenal (o & ldquobark & ​​rdquo mais superficial das glândulas adrenais) a secretar hormônios corticosteroides (também conhecidos como glicocorticóides), como o cortisol. O ACTH vem de uma molécula precursora conhecida como pró-opiomelanotropina (POMC) que produz várias moléculas biologicamente ativas quando clivada, incluindo ACTH, hormônio estimulador de melanócitos e os peptídeos opióides cerebrais conhecidos como endorfinas.

A liberação de ACTH é regulada pelo hormônio liberador de corticotropina (CRH) do hipotálamo em resposta aos ritmos fisiológicos normais. O CRH também estimula a liberação de endorfinas beta em resposta ao estresse ou exercício. Uma variedade de estressores pode provocar uma resposta complexa ao estresse, e o papel do ACTH na resposta ao estresse é discutido posteriormente neste capítulo.

Hormônio Folículo Estimulante e Hormônio Luteinizante

As glândulas endócrinas secretam uma variedade de hormônios que controlam o desenvolvimento e a regulação do sistema reprodutivo (essas glândulas incluem a pituitária anterior, o córtex adrenal e as gônadas - os testículos e os ovários). Muito do desenvolvimento do sistema reprodutivo ocorre durante a puberdade e é marcado pelo desenvolvimento de características específicas do sexo em adolescentes. A puberdade é iniciada pelo hormônio liberador de gonadotrofinas (GnRH), um hormônio produzido e secretado pelo hipotálamo. GnRH estimula a hipófise anterior a secretar gonadotrofinas & mdashhormones que regulam a função das gônadas. Os níveis de GnRH são regulados por meio de um ciclo de feedback negativo. Níveis elevados de hormônios reprodutivos inibem a liberação de GnRH. Ao longo da vida, as gonadotrofinas regulam a função reprodutiva e, no caso daqueles com ovários, o início e a cessação da capacidade reprodutiva.

As gonadotrofinas incluem dois hormônios glicoproteicos: hormônio estimulador do folículo (FSH) estimula a produção e maturação de células sexuais, ou gametas, incluindo óvulos naqueles com ovários e espermatozoides naqueles com testículos. O FSH também promove o crescimento folicular desses folículos, em seguida, liberam estrogênios nos ovários. Hormônio luteinizante (LH) desencadeia a ovulação naqueles com ovários, bem como a produção de estrogênios e progesterona pelos ovários. O LH estimula a produção de testosterona pelos testículos e, como a testosterona é produzida por células intersticiais dentro dos testículos, também é conhecida como hormônio estimulador de células intersticiais (ICSH) naqueles com testículos.

Prolactina

Como o próprio nome indica, prolactina (PRL) promove a lactação (produção de leite) nas mulheres. Durante a gravidez, contribui para o desenvolvimento das glândulas mamárias e, após o nascimento, estimula as glândulas mamárias a produzirem leite materno. No entanto, os efeitos da prolactina dependem fortemente dos efeitos permissivos dos estrogênios, progesterona e outros hormônios. E, como observado anteriormente, a descida do leite ocorre em resposta ao estímulo da ocitocina.

Em uma mulher não grávida, a secreção de prolactina é inibida pelo hormônio inibidor da prolactina (PIH), que na verdade é o neurotransmissor dopamina, e é liberado pelos neurônios no hipotálamo. Somente durante a gravidez os níveis de prolactina aumentam em resposta ao hormônio liberador de prolactina (PRH) do hipotálamo.


O SISTEMA ENDÓCRINO

O sistema endócrino é um conjunto de glândulas que secretam mensagens químicas que chamamos de hormônios. Esses sinais são passados ​​pelo sangue para chegar a um órgão-alvo, que possui células que possuem o receptor apropriado.

As glândulas exócrinas (que não fazem parte do sistema endócrino) secretam produtos que são eliminados do corpo. Glândulas sudoríparas, glândulas salivares e glândulas digestivas são exemplos de glândulas exócrinas.

Os hormônios são agrupados em três classes com base em sua estrutura:

Os sistemas nervoso e endócrino

A glândula pituitária (frequentemente chamada de glândula mestra) está localizada em uma pequena cavidade óssea na base

do cérebro. Uma haste liga a hipófise ao hipotálamo, que controla a liberação dos hormônios hipofisários. A hipófise possui dois lobos: os lobos anterior e posterior.

Muito pouco ou muito GH (hormônio do crescimento) pode causar nanismo ou gigantismo, respectivamente.

Prolactina é secretado próximo ao final da gravidez e prepara os seios para a produção de leite.

ADH (hormônio antidiurético) controla o equilíbrio da água no corpo e a pressão arterial. A oxitocina é um pequeno hormônio peptídico que estimula as contrações uterinas durante o parto.

A secreção da tireoide geralmente é maior no inverno do que no verão.

Endócrinos: O Sistema Postal de Comunicação e Coordenação

  • Hormônios são substâncias químicas fabricadas por órgãos chamados glândulas endócrinas ou glândulas endócrinas. Glândulas endócrinas também são chamados de "glândulas exócrinas".

GLÂNDULA ENDÓCRINA DO CORPO

Glândula adrenal

As glândulas supra-renais (também conhecidas como glândulas supra-renais) são glândulas endócrinas que produzem uma variedade de hormônios, incluindo a adrenalina.

Eles são encontrados acima dos rins.

Hipotálamo

O hipotálamo é uma parte do cérebro que contém uma série de pequenos núcleos com uma variedade de funções.

Função: ligar o sistema nervoso ao sistema endócrino através da glândula pituitária.

Glândula pituitária

É uma glândula endócrina do tamanho de uma ervilha e pesa 0,5 grama em humanos.

Os hormônios secretados pela glândula pituitária ajudam a controlar:

  • crescimento,
  • pressão sanguínea,
  • certas funções dos órgãos sexuais,
  • metabolismo,
  • gravidez,
  • parto,
  • enfermagem,
  • concentração de água / sal,
  • regulação de temperatura
  • alívio da dor.

A glândula tireóide, ou simplesmente a tireóide, é uma das maiores glândulas endócrinas no corpo.

Pode ser encontrada no interior do pescoço, abaixo da maçã de Adão & # 8217s.

  • Ele secreta dois hormônios: o triodotiro (T3) e a tetraiodotisonina (T4), são chamados de tirosina. Ambos os hormônios contêm iodo.
  • Hipotireoidismo (hipo, "sob") - atividade da tireoide diminuída. O hipotiroidismo na infância dá origem a uma condição chamada cretinismo.

Controla

  • taxa de uso de fontes de energia, síntese de proteínas, controla a sensibilidade do corpo a outros hormônios.

Bócio- é chamado de aumento da glândula tireóide. Ela se manifesta como um inchaço no pescoço.

O bócio pode estar associado ao aumento, normal ou diminuição da atividade da glândula tireoide.

O governo da Índia lançou o programa Universal de iodação do sal em 1986.

O pâncreas é um órgão glandular do sistema digestivo e endócrino dos vertebrados.

Em humanos, ele está localizado na cavidade abdominal atrás do estômago.

Ele produz vários hormônios importantes

  • incluindo insulina,
  • glucagon,
  • somatostatina, e
  • polipeptídeo pancreático que circula no sangue.

O pâncreas também é um órgão digestivo, secretando suco pancreático contendo enzimas digestivas que auxiliam na digestão e absorção de nutrientes no intestino delgado. Essas enzimas ajudam a discriminação a carboidratos, proteínas e lipídios no quimo.

A redução da quantidade de insulina eficaz dá origem ao diabetes mellitus (diabetes, sifão, melito do mel), comumente chamado simplesmente de diabetes.

Saliva: Tileno, Maltase

Suco gástrico: Pepsin, Renin

Suco pancreatico: Tripsina, amilase, lipase

Suco Intestinal: Erepsina, Maltase, Lactase, Sucrase, Lipase


Estruturas do sistema endócrino

O sistema endócrino consiste em células, tecidos e órgãos que secretam hormônios como função primária ou secundária. A glândula endócrina é o principal ator neste sistema. A função primária dessas glândulas endócrinas é secretar seus hormônios diretamente no fluido circundante. O fluido intersticial e os vasos sanguíneos transportam os hormônios por todo o corpo. O sistema endócrino inclui as glândulas pituitária, tireóide, paratireóide, adrenal e pineal. Algumas dessas glândulas têm funções endócrinas e não endócrinas. Por exemplo, o pâncreas contém células que funcionam na digestão, bem como células que secretam os hormônios insulina e glucagon, que regulam os níveis de glicose no sangue. O hipotálamo, timo, coração, rins, estômago, intestino delgado, fígado, pele, ovários femininos e testículos masculinos são outros órgãos que contêm células com função endócrina. Além disso, há muito se sabe que o tecido adiposo produz hormônios, e pesquisas recentes revelaram que até mesmo o tecido ósseo tem funções endócrinas.

As glândulas e células endócrinas estão localizadas em todo o corpo e desempenham um papel importante na homeostase.

As glândulas endócrinas endócrinas não devem ser confundidas com o sistema exócrino do corpo, cujas glândulas liberam suas secreções através dos dutos. Exemplos de glândulas exócrinas incluem as glândulas sebáceas e sudoríparas da pele. Como acabamos de observar, o pâncreas também tem uma função exócrina: a maioria de suas células secretam suco pancreático através dos ductos pancreáticos e acessórios até o lúmen do intestino delgado.


As partes do sistema endócrino

O sistema endócrino consiste em hormônios e nas glândulas endócrinas. Os hormônios são substâncias naturais que controlam, administram e coordenam várias funções corporais em todo o corpo.

O sistema endócrino consiste nestas glândulas:

  • O hipotálamo
  • A glândula pituitária
  • A glândula pineal
  • A tireóide
  • A paratireóide
  • As glândulas adrenais
  • O pâncreas
  • Os ovários
  • Os testículos

No passado, o timo também era considerado uma glândula endócrina, mas agora não é considerado uma glândula endócrina porque, embora desempenhe um papel no sistema imunológico do corpo, ele não secreta hormônios.

O hipotálamo

O hipotálamo desempenha vários papéis e funções. Como você pode ver nas fotos acima e abaixo, o hipotálamo está localizado dentro do crânio e do cérebro. O hipotálamo, conforme mostrado nas fotos acima, encontra-se em estreita proximidade anatômica e logo acima da glândula pituitária, outra glândula endócrina, perto da base ou parte inferior do cérebro.

O hipotálamo, bastante semelhante à glândula pituitária, conforme discutido a seguir, desempenha um papel importante em termos de homeostase do corpo, ou equilíbrio normal. Novamente, como a glândula pituitária, o hipotálamo secreta e libera hormônios que desaceleram e param a liberação de hormônios de outras glândulas endócrinas e estimula a liberação de hormônios de outras glândulas endócrinas, com base nas necessidades do corpo e nos níveis sanguíneos destas hormônios no sangue.

Quando um determinado hormônio no sangue está muito baixo, com base no feedback que o hipotálamo obtém, o hipotálamo, como a glândula pituitária, libera um hormônio para outra glândula endócrina para estimular esta glândula a secretar e produzir mais hormônio para aumentar o nível do hormônio específico. Da mesma forma, quando um determinado hormônio no sangue está muito alto, o hipotálamo, como a glândula pituitária, interrompe e interrompe a liberação desse hormônio estimulante para outra glândula endócrina para diminuir o nível do hormônio específico no sangue. Esse feedback mantém a homeostase hormonal do corpo, ou equilíbrio corporal.

O hipotálamo é a porta de entrada e saída do sistema nervoso e do sistema endócrino. Por exemplo, quando a estimulação sensorial é recebida do sistema nervoso, essa mensagem é enviada ao hipotálamo do sistema endócrino.

O hipotálamo secreta os hormônios, incluindo seus hormônios de liberação, conforme mostrado e listado na imagem acima, e com esses hormônios, o hipotálamo controla e coordena:

  • Manutenção da temperatura corporal da pessoa dentro de sua faixa normal
  • Manutenção do equilíbrio de fluidos e eletrólitos da pessoa com hormônio antidiurético
  • Estimulação da glândula pituitária para liberar hormônios, incluindo seus hormônios estimulantes
  • Secreções gastrointestinais do intestino e do estômago
  • Funções ovarianas e testiculares com hormônio liberador de gonadotrofina
  • Metabolismo com hormônio liberador de corticotrofina e hormônio estimulador da tireoide
  • Produção de leite humano com hormônio liberador de ocitocina e prolactina

A glândula pituitária

Localizada na base do cérebro, a glândula pituitária é protegida por uma estrutura óssea chamada Sella turcica do osso esfenóide.

A hipófise, conforme mostrado nas duas fotos acima, também é chamada de glândula mestra porque a glândula pituitária, ao contrário de outras glândulas do sistema endócrino, controla a secreção de várias outras glândulas incluídas no sistema endócrino.

Por exemplo, a hipófise desempenha um papel importante na secreção desses hormônios, entre outros, quando a hipófise secreta seus "hormônios simuladores:

  • O hormônio tireoidiano das glândulas tireoides quando a hipófise secreta o hormônio estimulador da tireoide
  • Cortisol das glândulas adrenais quando a hipófise secreta adrenocorticotropina

A hipófise também secreta outros hormônios, conforme listado na figura acima.

Anatomicamente, essa minúscula glândula está alojada na base do cérebro, como mostrado nas fotos acima.

Em resumo, a glândula pituitária controla e coordena:

  • Equilíbrio de fluidos corporais
  • Pressão sanguínea
  • A maturação dos órgãos sexuais
  • Crescimento
  • O processo de trabalho de parto durante o parto
  • A produção de leite humano
  • Metabolismo

A glândula pineal

Diagrama das glândulas pituitária e pineal no cérebro humano.

A glândula pineal, conforme mostrado nas fotos acima, é uma pequena glândula endócrina localizada na área do cérebro que fica relativamente próxima ao hipotálamo e às glândulas pituitárias do sistema endócrino.

O papel principal que a glândula pineal desempenha é o controle corporal e coordenação dos ciclos de sono e do relógio interno do corpo, que é conhecido como ritmo circadiano. Definido de forma simples, o ritmo circadiano é o ciclo normal de 24 horas de sono e vigília do ser humano. Os humanos são seres normais com atividade diurna ou diurna e sono noturno, ao contrário dos seres noturnos que possuem atividade noturna e vigília diurna.

A secreção de melatonina é estimulada e liberada com escuridão, conforme percebida pelo nervo óptico, e é inibida quando é estimulada pela luz, conforme detectada pelo nervo óptico.

A glândula tireóide

A tireóide humana vista de frente, com as artérias visíveis.

A glândula tireóide, conforme mostrado na figura acima, tem a forma de asas de anjo ou de borboleta. Possui uma seção principal em cada lado da garganta, logo acima da traqueia. Essas seções principais bilaterais, ou lóbulos, estão conectadas umas às outras por uma área de conexão fina chamada istmo. Embora possa parecer à primeira vista que existem duas glândulas tireoides bilaterais, existe apenas uma.

A glândula tireóide, conforme mostrado no diagrama abaixo, desempenha várias funções.

Os hormônios tireoidianos T3 e T4 têm vários efeitos metabólicos, cardiovasculares e de desenvolvimento no corpo. A produção é estimulada pela liberação do hormônio estimulador da tireoide (TSH), que por sua vez depende da liberação do hormônio liberador de tireotropina (TRH). Cada hormônio a jusante tem feedback negativo e diminui o nível do hormônio que estimula sua liberação.

A glândula tireóide produz e secreta o hormônio triiodotironina que consiste em T3 e T4, que são hormônios que contêm iodo, e tiroxina quando a glândula tireoide é solicitada e estimulada a produzir e liberar esses hormônios pelo hormônio estimulador da tireoide da glândula pituitária.

Também produz calcitonina, que desempenha um papel importante nos níveis de cálcio circulante no sangue. Afirma de forma simples, os níveis de calcitonina são reduzidos quando os osteoclastos dos ossos, como discutido acima na seção intitulada Sistema Esquelético, quebram o osso em seu processo normal de regeneração óssea. .

A glândula tireóide desempenha um papel em termos do corpo:

  • Metabolismo
  • Taxa metabólica basal
  • A função do sistema cardíaco em termos de pulsação, volume sanguíneo, temperatura corporal, respiração e utilização de oxigênio
  • Crescimento físico e taxa de crescimento
  • Funcionamento sexual

As glândulas paratireoides

Diagrama mostrando estruturas no pescoço humano. As quatro áreas sombreadas em verde representam a posição mais comum das glândulas paratireoides, que geralmente são em número de quatro e situadas atrás dos lobos laterais da glândula tireoide (sombreado em laranja).

Tireoide e paratireoides vistas da parte de trás do pescoço.

As glândulas paratireoides, conforme mostrado nas fotos acima, são dois pares de glândulas encontradas bilateralmente em ambos os lados da área do pescoço, logo atrás dos lobos da glândula tireoide. Como resultado da proximidade das glândulas paratireoides e da glândula tireoide, o nome da glândula paratireoide deriva de "para", que significa ao redor, e "tireoide", que é a glândula tireoide.

O corpo possui quatro glândulas paratireoides e essa característica torna as glândulas paratireoides bastante únicas quando comparadas e contrastadas com as outras glândulas do sistema endócrino. ,

O papel principal das glândulas paratireoides é controlar a quantidade de cálcio e fósforo circulantes, que são dois eletrólitos. O cálcio e o fosfato desempenham um papel vital em termos de ossos, dentes e sistema nervoso.

Esse controle no sangue circulante é realizado com a produção e secreção do hormônio da paratireoide pelas glândulas paratireoides.

As glândulas adrenais

As glândulas supra-renais, que estão na região abdominal, estão localizadas bilateralmente logo acima dos rins direito e esquerdo e logo acima do diafragma, como mostrado nas fotos acima.

As glândulas supra-renais consistem em duas camadas principais que são o córtex, a camada mais externa das glândulas supra-renais e a medula, que é o núcleo interno das glândulas supra-renais. Cada uma dessas duas camadas desempenha um papel diferente e também secretam hormônios diferentes.

O córtex secreta:

  • Andrógeno, que é um hormônio masculino
  • Aldosterona, que controla a pressão sanguínea e o equilíbrio de fluidos de uma pessoa
  • Cortisol que regula e coordena o metabolismo

A medula secreta hormônios de reação ao estresse, como:

O pâncreas

O pâncreas, conforme mostrado nas fotos acima, está localizado na cavidade abdominal. Anatomicamente, está localizado atrás do estômago e do pâncreas e tem três seções ou partes que são a cabeça do pâncreas, o pescoço do pâncreas e o corpo do pâncreas.

O pâncreas tem uma composição um pouco diferente das outras glândulas endócrinas. Uma parte do pâncreas funciona como uma glândula endócrina e outra parte como um órgão digestivo e corpo exócrino, conforme discutido acima na seção anterior intitulada O sistema digestivo. In this respect, the pancreas is often called a mixed gland because of these different functions.

As an endocrine gland, the islet cells of the pancreas, also referred to as the pancreatic islets and the islets of Langerhans, secrete glucagon, insulin, pancreatic polypeptide and somatostatin as listed in one of the pictures above. In terms of the pancreas' digestive system role, the pancreas produces and releases pancreatic, digestive enzymes and juices that break down foods as they enter the small intestine, as more fully described previously with the Digestive System.

The Testes & Ovaries

Blood supply of the human female reproductive organs. The left ovary is the oval shaped structure visible above the label "ovarian arteries".

The ovaries of the female are, in some ways, similar to the male gender's testes. Both the ovaries and the testes are endocrine glands and gonads, which is defined as a sex and reproduction glandular structure.

Like testes, females have two bilateral ovaries, each of which lie on either the left or right side of the uterus. One end of the ovary is at the fallopian tube and the other end of the ovary is attached to the uterus.

The ovaries, as an endocrine gland produces, progesterone, estrogen, inhibin and androstenedione, as listed in the picture above. Progesterone, secreted by the ovaries, plays a role in the menstrual cycle and the preparation of the uterus for the implantation of the fertilized egg or ovum estrogen plays a role in terms of the development of secondary sexual characteristics such as the breasts, at the time of female puberty, or pubescence. Inhibin plays a role in the body in terms of the inhibition of follicle stimulating hormone among females and the inhibition of the development of sperm in the male and androstenedione, which is an androgen that is weaker than testosterone.

Diagram of male (human) testicles.

The testes, or testicles, of the male are, as suggested above, are similar to the female gender's ovaries. Both the ovaries and the testes are endocrine glands and gonads, which is defined as a sex and reproduction glandular structure.

Like ovaries, males have two bilateral testes, each of which lay on either the left or right side of the body next to the penis, as shown in the picture above.

The testes, as an endocrine gland produce androgens, particularly testosterone, and, as a reproductive organ, the testes also produces and manufactures sperm, the male cell of reproduction which joins with the ova, the female cell of reproduction, to procreate and fertilize the egg. These endocrine gland and reproductive functions of the testes are stimulated by the pituitary gland's secretion of luteinizing hormone, testosterone and follicle stimulating hormone, respectively.


15.3: Glossary- The Endocrine System - Biology

Hormones travel throughout the body, either in the blood stream or in the fluid around cells, looking for target cells. Once hormones find a target cell, they bind with specific protein receptors inside or on the surface of the cell and specifically change the cell's activities. The protein receptor reads the hormone's message and carries out the instructions by either influencing gene expression or altering cellular protein activity. These actions produce a variety of rapid responses and long-term effects.

Hormones vary in their range of targets. Some types of hormones can bind with compatible receptors found in many different cells all over the body. Other hormones are more specific, targeting only one or a few tissues. For example, estrogens, the female sex hormones, can regulate function by binding to special estrogen receptor sites in uterine, breast and bone cells.

In addition, the same cell can act as a target cell for many different regulatory molecules. For instance, the same uterine, breast and bone cells that accept estrogens, also contain progesterone, androgen, glucocorticoid, vitamin D and vitamin A receptors.

Hormones are classified (separated into groups) according to how they travel in the body and their chemical structure.

Paracrine, autocrine and synaptic are three types of local hormone signaling. In paracrine signaling, hormones are released into the fluid between cells (the interstitial fluid) and diffuse to nearby target cells. Hormones that influence secretions or other processes on the same cells that released them are said to be autocrine signalers. The more specialized synaptic signaling occurs between neurons (the nerve cells that make up the nervous system) and between neurons and muscle cells, allowing nerve cells to talk to each other and to muscles.


IMAGE CREDIT: OpenStax, CNX.


Hormones released into the bloodstream from endocrine gland cells and special cells in the hypothalamus (neurosecretory cells) travel throughout the body looking for target cells. These hormones are similar to a television signal in that they are broadcast everywhere but can only be picked up and read by a cell with the right hormone receptor or antenna. IMAGE CREDIT: OpenStax, CNX

  • if the hormone travels in the blood alone or attached to a protein
  • if the hormone will bind to receptor sites outside or inside of the target cell (fat soluble can bind both whereas water soluble hormones usually bind on the outside) and
  • how the hormone is broken down (metabolized).

Water vs. Fat Soluble
Maioria water-soluble hormones, like the amino acid derivatives and peptides, can travel freely in the blood because they "like" water. However, they are repelled by lipid or fatty structures such as the membranes that surround the cell and nucleus. Because of this, these hormones generally bind to receptor sites on the outside of the cell and signal from there.

Fat-soluble hormones, like the sex hormone steroids estrogens and androgens, are fat soluble and water repellent. That is, they "like" lipid or fatty structures such as those surrounding cells but are generally repelled by watery areas. Steroids generally travel to their target cells attached to a special carrier protein that "likes" water (such as, sex steroid hormone binding globulin and serum albumin). The hormones detach before passing into the cell where they bind to receptors.

To get a better picture of this, think of oil and water. The two don't mix and separate into distinct layers. In this case, the amino acid derived and peptide hormones would prefer to be in the water layer, and the steroid hormones would prefer to be in the oil layer. Special carrier proteins that are comfortable in both oil and water can escort the peptide and amino acid derived molecules into the oil, and the steroid molecules into the water.


15.3: Glossary- The Endocrine System - Biology

Endocrine glands release chemical messengers known as hormones directly into the blood. Hormones are chemicals released by the endocrine glands that affect the physiological activity of the body.

The endocrine glândulas are the structures that are present in the various parts of the body and form the endócrino sistema. They produce and release hormones directly into the blood, and these hormônios are transported in the blood to the target organs or organs of the body. Hormones have high levels of specificity, which means they only react with certain target sites (tissues or organs) in the body. These hormones help to control the physiological activities of the body, along with the nervous system.

The endocrine system draws its name from the ability of the glands to secrete hormones and substances into blood vessels. The exocrine system on the other hand, glands such as salivary and sweat glands secrete substances out of ducts. This can be further divided into two classifications. Hormones and glands can be classed as autocrine, in which they secrete chemicals to act in short distances and on themselves or paracrine in which they secrete hormones that work over short distances but on other organs.

Questões Práticas

Khan Academy

MCAT Official Prep (AAMC)

Biology Question Pack, Vol 2. Passage 14 Question 94


Pontos chave

• The endocrine glands are the structures that produce and release chemical messengers known as hormones directly into the bloodstream.

• Hormones are chemical messenger molecules that help to regulate the physiological activities of the body along with the nervous system.

• Hormones move from the glands to the target organ or tissue via the blood.

glândula: an organ that synthesizes a substance, such as hormones or breast milk, and releases it, often into the bloodstream or into cavities inside the body or on its outer surface

endócrino system: the collection of glands that produce hormones that regulate bodily processes

target organ: a specific organ on which a hormone, drug, or other substance acts

hormone: a chemical that is made by specialist cells, usually within an endocrine gland, and it is released into the bloodstream


Endocrine System

The endocrine system is made up of glands that make hormones. Hormones are the body's chemical messengers. They carry information and instructions from one set of cells to another.

The endocrine (pronounced: EN-duh-krin) system influences almost every cell, organ, and function of our bodies.

What Does the Endocrine System Do?

  • Endocrine glands release into the bloodstream. This lets the hormones travel to cells in other parts of the body.
  • The endocrine hormones help control mood, growth and development, the way our organs work, , and reproduction.
  • The endocrine system regulates how much of each hormone is released. This can depend on levels of hormones already in the blood, or on levels of other substances in the blood, like calcium. Many things affect hormone levels, such as stress, infection, and changes in the balance of fluid and minerals in blood.

Too much or too little of any hormone can harm the body. Medicines can treat many of these problems.

What Are the Parts of the Endocrine System?

While many parts of the body make hormones, the major glands that make up the endocrine system are the:

  • hipotálamo
  • pituitária
  • thyroid
  • parathyroids
  • adrenals
  • pineal body
  • the ovaries
  • the testes

The pancreas is part of the endocrine system e the digestive system. That's because it secretes hormones into the bloodstream, and makes and secretes enzymes into the digestive tract.

Hypothalamus: The hypothalamus (pronounced: hi-po-THAL-uh-mus) is in the lower central part of the brain. It links the endocrine system and nervous system. Nerve cells in the hypothalamus make chemicals that control the release of hormones secreted from the pituitary gland. The hypothalamus gathers information sensed by the brain (such as the surrounding temperature, light exposure, and feelings) and sends it to the pituitary. This information influences the hormones that the pituitary makes and releases.

Pituitary: The pituitary (pronounced: puh-TOO-uh-ter-ee) gland is at the base of the brain, and is no bigger than a pea. Despite its small size, the pituitary is often called the "master gland." The hormones it makes control many other endocrine glands.

The pituitary gland makes many hormones, such as:

  • growth hormone, which stimulates the growth of bone and other body tissues and plays a role in the body's handling of nutrients and minerals
  • prolactin (pronounced: pro-LAK-tin), which activates milk production in women who are breastfeeding
  • thyrotropin (pronounced: thy-ruh-TRO-pin), which stimulates the thyroid gland to make thyroid hormones
  • corticotropin (pronounced: kor-tih-ko-TRO-pin), which stimulates the adrenal gland to make certain hormones
  • antidiuretic (pronounced: an-ty-dy-uh-REH-tik) hormone, which helps control body water balance through its effect on the kidneys
  • oxytocin (pronounced: ahk-see-TOE-sin), which triggers the contractions of the uterus that happen during labor

The pituitary also secretes endorphins (pronounced: en-DOR-fins), chemicals that act on the nervous system and reduce feelings of pain. The pituitary also secretes hormones that signal the reproductive organs to make sex hormones. The pituitary gland also controls and the menstrual cycle in women.

Thyroid: The thyroid (pronounced: THY-royd) is in the front part of the lower neck. It's shaped like a bow tie or butterfly. It makes the thyroid hormones thyroxine (pronounced: thy-RAHK-sin) and triiodothyronine (pronounced: try-eye-oh-doe-THY-ruh-neen). These hormones control the rate at which cells burn fuels from food to make energy. The more thyroid hormone there is in the bloodstream, the faster chemical reactions happen in the body.

Thyroid hormones are important because they help kids' and teens' bones grow and develop, and they also play a role in the development of the brain and nervous system.

Parathyroids: Attached to the thyroid are four tiny glands that work together called the parathyroids (pronounced: par-uh-THY-roydz). They release parathyroid hormone, which controls the level of calcium in the blood with the help of calcitonin (pronounced: kal-suh-TOE-nin), which the thyroid makes.

Adrenal Glands: These two triangular adrenal (pronounced: uh-DREE-nul) glands sit on top of each kidney. The adrenal glands have two parts, each of which makes a set of hormones and has a different function:

  1. The outer part is the adrenal cortex. It makes hormones called corticosteroids (pronounced: kor-tih-ko-STER-oydz) that help control salt and water balance in the body, the body's response to stress, metabolism, the immune system, and sexual development and function.
  2. The inner part is the adrenal medulla (pronounced: muh-DUH-luh). It makes catecholamines (pronounced: kah-tuh-KO-luh-meenz), such as epinephrine (pronounced: eh-puh-NEH-frun). Also called adrenaline, epinephrine increases blood pressure and heart rate when the body is under stress.

Pineal: The pineal (pronounced: pih-NEE-ul) body, also called the pineal gland, is in the middle of the brain. It secretes melatonin (pronounced: meh-luh-TOE-nin), a hormone that may help regulate when you sleep at night and when you wake in the morning.

Reproductive Glands: The gonads are the main source of sex hormones. Most people don't realize it, but both guys and girls have gonads. In guys the male gonads, or testes (pronounced: TES-teez), are in the scrotum. They secrete hormones called androgens (pronounced: AN-druh-junz), the most important of which is (pronounced: tess-TOSS-tuh-rone). These hormones tell a guy's body when it's time to make the changes associated with puberty, like penis and height growth, deepening voice, and growth in facial and pubic hair. Working with hormones from the pituitary gland, testosterone also tells a guy's body when it's time to make sperm in the testes.

A girl's gonads, the ovaries (pronounced: OH-vuh-reez), are in her pelvis. They make eggs and secrete the female hormones (pronounced: ESS-truh-jen) and (pronounced: pro-JESS-tuh-rone). Estrogen is involved when a girl starts puberty. During puberty, a girl will have breast growth, start to accumulate body fat around the hips and thighs, and have a growth spurt. Estrogen and progesterone are also involved in the regulation of a girl's menstrual cycle. These hormones also play a role in pregnancy.

Pancreas: The pancreas (pronounced: PAN-kree-us) makes insulin (pronounced: IN-suh-lin) and glucagon (pronounced: GLOO-kuh-gawn), which are hormones that control the level of glucose, or sugar, in the blood. Insulin helps keep the body supplied with stores of energy. The body uses this stored energy for exercise and activity, and it also helps organs work as they should.


Assista o vídeo: ADH - Hormônio Antidiurético e a Reabsorção da Água (Janeiro 2022).