Em formação

Existe alternância de gerações em animais que não sejam cnidários?


Existem outros animais além dos cnidários que exibem alternância de gerações (tendo estágios distintos de vida sexual e assexuada)? Se sim, quais são esses animais? Além disso, por que tão poucos animais têm esse tipo de ciclo de vida? Quais são as vantagens evolutivas de tal ciclo de vida, e por que os cnidários são enfatizados na zoologia?


De acordo com Wikiwand, a heterogamia ocorre também em:

  • alguns pulgões
  • várias espécies de rotíferos
  • Daphnia (crustáceo de água doce)

Transcrição da apresentação

Por que estudar plantas? • Oxigênio você consegue respirar? • Ozônio - você se bronzeia, queima ou melanoma? • Carboidratos você tem comida para comer? • Fibra você é regular? • Madeira onde você mora • Combustíveis fósseis você dirige ou se aquece no inverno? • Látex já usou plástico? • Remédiosnunca adoecem? • Pitch você gosta de seus móveis envernizados e pintados? • Resinas já fez um barco flutuar? • Sabores e fragrâncias amplificadas você gosta de comida aromática saborosa? • Empregos…

Carreiras em Horticultura: • Pomologia-frutas • Viticultura-uvas • Enologia-vinho • Olericultura-vegetais • Plantas ornamentais de horticultura-paisagem • Projeto de arquitetura paisagística

1. Tecido vascular? Não ………… Briófita Sim ……… ..Tracheófito, vá para 2 2. Sementes? Não ………… Planta sem sementes Sim ……… .. Planta com sementes, vá para 3 3. Sementes cobertas? Não ………… Gimnosperma Sim ……… ..Angiosperma, vá para 4 4a. Um cotilédone, veias paralelas, flores 3X, pólen de 1 poro, feixes vasculares dispersos, raízes fibrosas Sim ………. …… monocotiledônea 4b. Dois cotilédones, veias reticuladas, flores 4X / 5X, & gt3 pólen poroso, feixes vasculares em anel, raízes axiais Sim ……… ..… ..dicotiledônea

Alternação de Gerações • As plantas (como todos os organismos que se reproduzem sexualmente) passam parte de sua vida haplóide (gametófito) e parte diplóide (esporófito).

Plantas vasculares sem sementes: samambaias, musgos, cavalinha e Bata samambaias As samambaias são plantas sem sementes cujos espermatozoides flagelados precisam de umidade para chegar ao óvulo

Plantas sem sementes formaram vastas “florestas de carvão” • Samambaias e outras plantas sem sementes outrora dominavam florestas antigas • Seus restos formavam carvão

Gametófito feminino (n) 4 As células de esporos haplóides inovule se desenvolvem no gametófito feminino, que produz o ovo. 5 O gametófito masculino (pólen) cresce no tubo até o óvulo e produz e libera esperma. Ovo (n) Espermatozóide (n) Gametófito masculino (grão de pólen) HAPLOID MEIOSE Fertilização DIPLOID Scale Esporângio (2n) Ovule Seedcoat Zigoto (2n) 3 Embrião de polinização (2n) HAPLOID Grãos de polinização (ovófitos malegametados) (n) Tegumento 1 fêmea conebóide. 6 O zigoto se desenvolve em embrião e o óvulo se torna necessário. MEIOSE Semente 2 O cone macho produz esporos por meiosissporos desenvolvem-se em grãos polares. 7 A semente cai no solo e germina, e o embrião se transforma em árvore. Ciclo de vida esporófito de uma gimnosperma

Estigma 2 Ovo (n) O esporo haplóide em cada óvula se desenvolve no gametófito feminino, que produz o ovo. 3 Polinização e crescimento do polentubo Pollengrain Pollentube Ovule 1 Anteras esporosas haplóides se desenvolvem em grãos de pólen: gametófitos masculinos. Espermatozóide Pólen (n) HAPLOID Meiose Fertilização DIPLOID 4 Zigoto (2n) Seedcoat Abastecimento de alimentos Sementes 7 Ovário A semente germina e o embrião se transforma em planta. Embrião de óvulo (2n) 5 sementes esporófito 6 Ciclo de vida do fruto de um angiosperma

Briófitas Tracheophytes Seedless PlantsGymnospermsAngiospermas

O que é? 1. 6. 2. 7. 3. 8. 4. 9. 5. 10.

O que é fotossíntese? A fotossíntese está usando a energia da luz do sol para fazer açúcar Luz E + CO2 + H2O  C6H12O6 + O2

CAM.qt Plantas especiais chamadas plantas C4 ou plantas CAM têm sistemas especializados de fotossíntese

Folha Anatomia LeafWeb qt anatomia derme

Transporte através do tecido vascular • Xylem Wxyz Water • Floem phood por fotossíntese FoodWeb qt Source & amp Sink Water & ampPlantsWebqt Water movement

Grãos de pólen Estigma da antera CARPEL Ovário STAMEN PETAL Óvulo SEPAL Flores • A flor é a peça central da reprodução do angiosperma • Dupla fecundação

Fruta amadurecimento.qt Tomates • Após a fertilização, o ovário amadurece e se torna uma fruta. Em geral, os frutos podem ser classificados como simples, agregados ou múltiplos). • O fruto angiosperma tem 2 funções: 1. Proteger as sementes durante a sua maturação2. Dispersar efetivamente as sementes maduras seed.qt

A estrutura de uma fruta reflete sua função na semente dispersão • Frutas são adaptações que dispersam sementes

Sementes Germin.qt Com a fertilização dupla ocorre o seguinte: 1. O zigoto se desenvolve em um embrião2. Os tegumentos se desenvolvem em um tegumento 3. O ovário se desenvolve em um fruto4. O núcleo primário do endosperma se divide para formar o endosperma Maizegr.qt Geotropismo Maizepho.qt Geotropismo

Respostas das plantas (tropismos) Tropismos vs Taxismos Thigmotropism Contato Físico. Quimotropismo Quimotropismo Termotropismo de Temperatura Eletrotropismo de Ferimento Escototropismo de Eletricidade Aerotropismo Escuro Gravitropismo de Oxigênio Fototropismo Gravitacional Plantas leves em Movimento Tropismos Mimosa, Sundew

As plantas podem dizer o tempo • Movimentos do sono de ritmos circadianos na árvore de seda leguminosa

Defesas de Plantas • Físicos espinhos, espinhos, cabelos • Venenosquímicos, irritantes, medicamentos • Ingestibilidadecelulose • Thigmotropismo mecânico • Defesa sistêmica contra herbívoros

Hormônios vegetais Hormônio: uma substância química eficaz em pequenas quantidades, que é produzida em um local e tem seus efeitos em outro lugar • Auxinas formação de raiz, dominância apical • Giberelinas germinação de sementes, alongamento do caule • Citocininas divisão celular, diferenciação • Ácido abscísicoabsecare maturação de plantas , abscisão da folha (em que época do ano?) • Etileno  abscisão da folha, uma maçã podre ... Pepino Citocininas Morango Amadurecimento

A agricultura é quase inteiramente baseada em angiospermas • As gimnospermas fornecem a maior parte de nossa madeira e papel • As angiospermas fornecem a maior parte de nossos alimentos • Frutas, vegetais e grãos • As angiospermas também fornecem outros produtos importantes • Medicamentos, fibras, perfumes

As interações com animais influenciaram profundamente a angiosperma evolução (coevolução) • As angiospermas são uma importante fonte de alimento para os animais • Os animais também ajudam as plantas na polinização e dispersão de sementes

Conexão: A diversidade de plantas é um recurso não renovável • 20% das florestas tropicais em todo o mundo foram destruídas no último terço do século 20 • As florestas da América do Norte diminuíram quase 40% nos últimos 200 anos

Mais de 25% dos medicamentos prescritos são extraídos de plantas • Algumas plantas nessas florestas podem ser usadas de maneiras medicinais


Introdução

A biota do solo, incluindo bactérias, arquéias, protistas, fungos e animais, sustenta funções ecossistêmicas de importância global. As funções fundamentais das comunidades do solo incluem nutrientes e ciclagem hidrológica, decomposição, mitigação da poluição e apoio à produção primária terrestre, que estão inextricavelmente ligadas à segurança alimentar global, regulação do clima e outros serviços ecossistêmicos 1,2. No entanto, até recentemente, a caracterização da biodiversidade do solo (popularmente referida como uma "caixa preta") foi restringida por nossa incapacidade de identificar níveis de diversidade tipicamente intratáveis ​​usando abordagens tradicionais ou moleculares. O sequenciamento de alto rendimento, no entanto, resultou em uma mudança de etapa, facilitando a caracterização de bactérias 3,4,5,6,7, arquéias 6,7,8, fungos 9,10, protistas 11,12,13 e animais 14 dentro a biosfera subterrânea. Cada vez mais, esforços têm sido feitos para investigar a biodiversidade total da biosfera do solo em grandes escalas ecológicas 15,16,17 e taxonômicas 15,16,18,19.

Compreender a resposta da biosfera total do solo às mudanças no uso da terra e fatores ambientais tornou-se um importante foco de pesquisa em programas regionais de monitoramento do solo 15,16,19 e em campo de pequena escala 20,21 e experimentos de mesocosmo 18,20. No entanto, apesar do movimento em direção ao estudo unificado da biota do solo, desafios fundamentais de técnica e escala permanecem. Freqüentemente, tais estudos requerem a comparação das métricas da biota do solo capturadas por meio de técnicas moleculares tradicionais e modernas 15,19,20,21. Até onde sabemos, relativamente poucos estudos tentaram avaliar todos os componentes das comunidades subterrâneas usando uma abordagem de metabarcodificação de múltiplos marcadores 22.

Há evidências crescentes de que as frações microbianas e animais das comunidades do solo podem responder de forma diferente às mudanças no uso da terra. A riqueza microbiana aumenta 15, enquanto a riqueza da fauna do solo diminui em resposta ao uso mais intenso da terra 15,23,24. No entanto, esses achados vêm de paisagens relativamente homogêneas, como pastagens 15. Não está claro se as respostas diferenciais dos micróbios e da fauna do solo se estendem por usos heterogêneos da terra. Por exemplo, em paisagens heterogêneas do País de Gales, Reino Unido, a diversidade α da mesofauna é mais baixa em sistemas agrícolas e de turfeiras, que são os sistemas de manejo mais e menos intensivo do país, respectivamente 23. Mudanças nas propriedades do solo podem ditar ainda mais declínios da fauna comum do solo em usos de baixa intensidade. Portanto, é fundamental avaliar se o efeito positivo do aumento da intensidade do uso da terra sobre a riqueza microbiana é consistente em todas as regiões compostas por ecossistemas e usos da terra marcadamente diversos. Da mesma forma, a importância das propriedades individuais do solo na formação de comunidades subterrâneas também se mostrou difícil de separar. Muitos estudos demonstraram o domínio consistente do pH na formação da composição da comunidade abaixo do solo em escalas nacionais 23,25,26,27,28 e globais 4,5,9,29. No entanto, os fatores climáticos 9,30 e outras propriedades do solo, incluindo matéria orgânica, disponibilidade de nitrogênio (N) e a razão carbono (C)-para-N 9, também são reconhecidos como importantes condutores da composição da comunidade abaixo do solo, embora tendências consistentes permaneçam elusivas 30 Portanto, não está claro se a biosfera total do solo responde às mudanças no uso da terra e nas propriedades do solo da mesma maneira em paisagens heterogêneas.

Aqui, procuramos avaliar se as respostas divergentes ao uso da terra e propriedades do solo nas frações microbianas e animais das comunidades do solo persistem em sistemas heterogêneos em escala nacional, usando uma abordagem de metabarcoding padronizada. Apresentamos uma análise em escala nacional da biodiversidade do solo em Gales, Reino Unido, da escala micro a macro, incluindo todos os principais grupos de micróbios do solo, além de animais, de 436 locais ao longo de 2 anos em uma ampla variedade de ecossistemas oceânicos temperados , incluindo pastagens, florestas, pântanos e sistemas gerenciados. As métricas bióticas vêm do sequenciamento de alto rendimento de comunidades procarióticas, fúngicas, eucarióticas microbianas e animais do solo usando genes marcadores 16S, ITS e 18S rRNA, que são complementados por um amplo conjunto de propriedades abióticas co-localizadas do solo e dados de cobertura vegetal. Especificamente, investigamos como a riqueza e a diversidade β de todas as principais frações da vida subterrânea respondem ao tipo de uso da terra e às propriedades prevalecentes do solo (por exemplo, matéria orgânica, pH e N) para explorar quais linhagens desempenham um papel demonstrável na determinação das estruturas da comunidade abaixo do solo em gradientes ecológicos grandes e complexos. Nossos resultados demonstram que através de um gradiente de usos da terra heterogêneos, a riqueza dos animais do solo é governada mais pelo regime de uso da terra do que pelas propriedades intrínsecas do solo. Em contraste, a riqueza microbiana é impulsionada pelas propriedades do solo e demonstra uma tendência amplamente linear de diminuição da riqueza ao longo de um gradiente de produtividade do uso da terra com base na diminuição da disponibilidade de nutrientes do solo.


Assista o vídeo: And jellyfish are born: scyphozoa strobilation (Dezembro 2021).