Em formação

Capítulo 21 - Energia Renovável - Biologia


Capítulo 21 - Energia Renovável

Soluções NCERT para Ciência da Classe 10

Soluções NCERT para Ciência da Classe 10: O Conselho Nacional de Pesquisa e Treinamento Educacional (NCERT) é uma organização autônoma do governo indiano que fornece o currículo para o CBSE e algumas escolas estaduais na Índia. Portanto, os candidatos que comparecem aos diferentes exames do conselho da Classe 10 podem consultar este Syllabus NCERT e se preparar para seus exames, o que, por sua vez, ajuda os candidatos a obter uma nota.

Você também pode baixar NCERT Solutions for Class 10 Maths em Hindi para ajudá-lo a revisar o Syllabus completo e marcar mais notas em seus exames.


Homem e Meio AmbientePrimavera de 2015

1 Ciência e Sustentabilidade (1)
2 Sistemas Físicos da Terra (2)
3 Evolução, Biodiversidade e Ecologia Populacional (3)
4 Interações de espécies e ecologia da comunidade (4)
5 Sistemas Ambientais e Ecologia de Ecossistemas (5)
6 População Humana (8)
7 Solo e Agricultura (9)
8 Agricultura, Biotecnologia e o Futuro dos Alimentos (10)
9 Biodiversidade e Biologia da Conservação (11)
10 Sistemas e recursos de água doce (15)
11 Sistemas e recursos marinhos e costeiros (16)
12 Mudanças Climáticas Globais (18)
13 Combustíveis fósseis, seus impactos e conservação de energia (19)
14 alternativas de energia convencionais (20)
15 novas alternativas de energia renovável (21)


COMITÊ DE COOPERAÇÃO EUA-CHINA EM ELETRICIDADE DE RECURSOS RENOVÁVEIS

Comitê dos EUA

LAWRENCE PAPAY (NAE), 1 cadeira,

Organização de Pesquisa Científica e Industrial da Commonwealth

Laboratório Nacional de Energia Renovável

Management Information Services Inc.

Laboratório Nacional de Energia Renovável

Laboratório Nacional do Noroeste do Pacífico

Universidade do Colorado em Boulder

Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Energético do Estado de Nova York

Comitê Chinês

ZHAO ZHONGXIAN (CAS), 2 cadeira,

Instituto de Física, Academia Chinesa de Ciências

Guangzhou Branch, Academia Chinesa de Ciências

Instituto de Física do Plasma, Academia Chinesa de Ciências

Xinjiang Goldwind Science & amp Technology Co. Ltd.

Associação Chinesa de Energia Eólica

Nordeste da China Grid Company Ltd.

Instituto de Conversão de Energia de Guangzhou, Academia Chinesa de Ciências

Segundo Instituto de Oceanografia, Administração Oceânica Estadual

Instituto de Engenharia Elétrica, Academia Chinesa de Ciências

Instituto de Conversão de Energia de Guangzhou, Academia Chinesa de Ciências

Instituto de Engenharia Elétrica, Academia Chinesa de Ciências

Instituto de Engenharia Elétrica, Academia Chinesa de Ciências

Instituto de Termofísica de Engenharia, Academia Chinesa de Ciências

Academia Nacional de Engenharia

Academia Chinesa de Ciências

Academia Chinesa de Engenharia

Instituto de Engenharia Elétrica, Academia Chinesa de Ciências

Instituto de Conversão de Energia de Guangzhou, Academia Chinesa de Ciências

Instituto de Semicondutores, Academia Chinesa de Ciências

Instituto de Pesquisa Energética, Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (aposentado)

Centro de Avaliação de Recursos de Energia Solar e Eólica, Administração Meteorológica da China

Funcionários dos EUA

DEREK VOLLMER, Diretor de Estudos,

Divisão de Política e Assuntos Globais, Academias Nacionais

LANCE DAVIS, Diretor Executivo,

Academia Nacional de Engenharia

Escritório do Programa, Academia Nacional de Engenharia

PENELOPE GIBBS, Associado Sênior do Programa,

Academia Nacional de Engenharia

DAVID LUKOFSKY, Christine Mirzayan bolsista graduada em Política de Ciência e Tecnologia e bolsista da National Academy of Engineering

Cajado Chinês

CAO JINGHUA, Diretor Adjunto,

Escritório de Cooperação Internacional, Academia Chinesa de Ciências

DU FENGLI, Diretor Assistente,

Instituto de Engenharia Elétrica, Academia Chinesa de Ciências

KANG JINCHENG, Diretor-Geral Adjunto,

Escritório de Cooperação Internacional, Academia Chinesa de Engenharia

LIAO CUIPING, Diretor de Pesquisa,

Instituto de Conversão de Energia de Guangzhou, Academia Chinesa de Ciências

LIU FENGSONG, Diretor-Geral Adjunto,

Bureau de Estudos Acadêmicos, Academia Chinesa de Ciências

LU YAO, Assistente de Pesquisa,

Instituto de Conversão de Energia de Guangzhou, Academia Chinesa de Ciências

SHEN YIMIN, gerente de escritório,

Bureau de Estudos Acadêmicos, Academia Chinesa de Ciências

WANG ZHENHAI, Diretor-Geral Adjunto,

Escritório de Estudos Políticos, Academia Chinesa de Engenharia

XU HAIYAN, Diretor Adjunto,

Escritório de Cooperação Internacional, Academia Chinesa de Engenharia


Inspirado pela Biologia: Das Moléculas aos Materiais às Máquinas (2008)

Infelizmente, este livro não pode ser impresso a partir do OpenBook. Se você precisar imprimir as páginas deste livro, recomendamos baixá-lo como um PDF.

Visite NAP.edu/10766 para obter mais informações sobre este livro, comprá-lo na versão impressa ou baixá-lo como um PDF gratuito.

Abaixo está o texto lido por máquina não corrigido deste capítulo, com o objetivo de fornecer aos nossos próprios mecanismos de pesquisa e mecanismos externos um texto pesquisável de cada livro altamente rico e representativo do capítulo. Por ser um material NÃO CORRIGIDO, considere o texto a seguir como um substituto útil, mas insuficiente para as páginas oficiais do livro.

inspirado por Biologia F r o m o l e c u l e s t o m at er i a l s t o m a c n e s Comitê de Materiais e Processos Biomoleculares Comitê de Ciências do Estado Sólido Conselho de Física e Astronomia Divisão de Engenharia e Ciências Físicas Conselho de Ciências da Vida Divisão de Estudos da Terra e da Vida

THE NATIONAL ACADEMIES PRESSâ € ƒ 500 Fifth Street, NWâ € ƒ Washington, DC 20001 AVISO: O projeto que à © o assunto deste relatório foi aprovado pelo Conselho Diretivo do National Research Council, cujos membros sà £ o oriundos dos conselhos do Academia Nacional de Ciências, Academia Nacional de Engenharia e Instituto de Medicina. Os membros da comissão competente para o relatório foram escolhidos pelas suas competências especiais e no respeito pelo equilíbrio adequado. Este estudo é baseado no trabalho apoiado pelo Contrato No. DE-FG02-05ER46197 entre a National Academy of Sciences e o Departamento de Energia e Grant No. DMR-0426181 entre a National Academy of Sciences e a National Science Foundation. Quaisquer opiniões, descobertas, conclusões ou recomendações expressas nesta publicação são de responsabilidade do (s) autor (es) e não refletem necessariamente as opiniões das agências que forneceram apoio ao projeto. Dados de Catalogação na Publicação da Biblioteca do Congresso inspirados na biologia: das moléculas aos materiais às máquinas / Comitê de Materiais e Processos Biomoleculares, Conselho de Física e Astronomia, Conselho de Ciências da Vida, Divisão de Engenharia e Ciências Físicas, Divisão da Terra e da Vida Estudos. p. cm. Inclui referências bibliográficas. ISBN 978-0-309-11704-3 (livro pbk) - ISBN 978-0-309-11705-0 (livro pdf) 1. Biologia molecular. 2. Biomoléculas - Análise. 3. Materiais - Biotecnologia. 4. Materiais biomédicos. 5. Engenharia biomédica. I. Conselho Nacional de Pesquisa (EUA). Comitê de Materiais e Processos Biomoleculares. QH506.I4817 2008 570- dc22 2008016751 Cópias deste relatório estão disponíveis na National Academies Press, 500 Fifth Street, NW, Lockbox 285, W  ashington, DC 20055 (800) 624-6242 ou (202) 334-3313 ( na área metropolitana de Washington) Internet, http://www.nap.edu and the Board on Physics and Astronomy, National Research Council, 500 Fifth Street, NW, Washington, DC 20001 Internet, http: //www.national-academies .org / bpa. Capa: Três imagens são mostradas na capa deste livro, cada uma representando uma molécula (meio), um material (embaixo) e uma máquina (em cima) na pesquisa de materiais biomoleculares. (Acima) Miosina V (azul esverdeado), um motor molecular que movimenta carga ao redor da célula ao caminhar sobre a actina (vermelho). Cortesia de Paul R. Selvin, Universidade de Illinois em Urbana-Champaign criado por precisiongraphics.com. (Meio) Peptóides antimicrobianos são projetados para imitar as estruturas anfipáticas de modelos de peptídeos antimicrobianos da estrutura dobrada de um peptóide sintético são mostrados em visualizações paralelas e perpendiculares ao eixo helicoidal. Os resíduos são codificados por cores: catiônico, roxo hidrofóbico, laranja todos os outros, cinza. Publicado em N.P. Chongsiriwatana, J.A. Patch, A.M. Czyzewski, M.T. Dohm, A. Ivankin, D. Gidalevitz, R.N. Zuckermann, e A.E. Barron, â € œPeptoids that mimic the structure, function, and mecan of helical antimicrobial peptidesâ €, Proceedings of the National Academy of Sciences USA 105 (8): 2794-2799 (2008). Copyright 2008 National Academy of Sciences, U.S.A. (Bottom) Array de microlentes na placa esquelética de um brittlestar Ophiocoma wendtii que funciona como um elemento óptico sofisticado. Toda a estrutura é composta por um único cristal de calcita de formato complexo. O tamanho da lente é de aproximadamente 50 mícrons. Cortesia de J. Aizenberg, Harvard University. Copyright 2008 da National Academy of Sciences. Todos os direitos reservados. Impresso nos Estados Unidos da América

A National Academy of Sciences é uma sociedade privada, sem fins lucrativos, que se autoperpetua, formada por estudiosos ilustres engajados na pesquisa científica e de engenharia, dedicada ao fomento da ciência e da tecnologia e ao seu uso para o bem-estar geral. De acordo com a autoridade da carta concedida a ela pelo Congresso em 1863, a Academia tem um mandato que exige que assessore o governo federal em questões científicas e técnicas. O Dr. Ralph J. Cicerone é presidente da National Academy of Sciences. A National Academy of Engineering foi fundada em 1964, sob a égide da National Academy of Sciences, como uma organização paralela de engenheiros de destaque. É autônomo na administração e na seleção de seus membros, compartilhando com a Academia Nacional de Ciências a responsabilidade de assessorar o governo federal. A Academia Nacional de Engenharia também patrocina programas de engenharia voltados para atender às necessidades nacionais, incentiva a educação e a pesquisa e reconhece as realizações superiores dos engenheiros. O Dr. Charles M. Vest é presidente da National Academy of Engineering. O Instituto de Medicina foi estabelecido em 1970 pela Academia Nacional de Ciências para assegurar os serviços de membros eminentes de profissões apropriadas no exame de questões políticas relativas à saúde pública. O Instituto atua sob a responsabilidade conferida à Academia Nacional de Ciências por seu estatuto do Congresso para ser um assessor do governo federal e, por sua própria iniciativa, identificar questões de assistência médica, pesquisa e educação. Dr. Harvey V. Fineberg é presidente do Instituto de Medicina. O Conselho Nacional de Pesquisa foi organizado pela Academia Nacional de Ciências em 1916 para associar a ampla comunidade de ciência e tecnologia aos objetivos da Academia de promover o conhecimento e aconselhar o governo federal. Funcionando de acordo com as políticas gerais determinadas pela Academia, o Conselho se tornou a principal agência operacional da Academia Nacional de Ciências e da Academia Nacional de Engenharia na prestação de serviços ao governo, ao público e às comunidades científicas e de engenharia. O Conselho é administrado conjuntamente pelas Academias e pelo Instituto de Medicina. O Dr. Ralph J. Cicerone e o Dr. Charles M. Vest são presidente e vice-presidente, respectivamente, do National Research Council. www.national-academies.org

COMITÊ DE MATERIAIS E PROCESSOS BIOMOLECULARES ARUP K. CHAKRABORTY, Instituto de Tecnologia de Massachusetts, Presidente JOANNA AIZENBERG, Universidade de Harvard ANNELISE E. BARRON, Universidade de Stanford KEN A. DILL, Universidade da Califórnia em São Francisco SHARON C. GLOTZER, Universidade de Michigan YALE E . GOLDMAN, University of Pennsylvania ELIAS GREENBAUM, Oak Ridge National Laboratory W. JOHN KAO, University of Wisconsin em Madison DAVID NEEDHAM, Duke University V. ADRIAN PARSEGIAN, National Institutes of Health ALAN RUDOLPH, Adlyfe Inc. CYRUS R. SAFINYA, University of Califórnia em Santa Bárbara CHARLES F. STEVENS, Instituto Salk de Estudos Biológicos DAVID A. WEITZ, Funcionários da Universidade de Harvard DONALD C. SHAPERO, Diretor, Conselho de Física e Astronomia FRANCES E. SHARPLES, Diretor, Conselho de Ciências da Vida ADAM P. FAGEN, Oficial de programa sênior, Conselho de Ciências da Vida NATALIA J. MELCER, Oficial de programa sênior, Conselho de Física e Astronomia BETH MASIMORE, Christine Mirzayan Ciência e Tecnologia gy Policy Graduate Fellow CARYN J. KNUTSEN, Senior Program Assistant? ¿½ï¿½ï¿½ï¿½, Conselho de FÃsica e Astronomia PHILLIP D. LONG, Assistente de Programa Sênior, Conselho de FÃsica e Astronomia (atà © agosto de 2006) VAN AN, Associado Financeiro, Conselho de FÃsica e Astronomia

COMITÊ DE CIÊNCIAS DO ESTADO SÓLIDO PETER F. GREEN, Universidade de Michigan, Presidente BARBARA JONES, IBM Almaden Research Center, Vice-Presidente DANIEL P. AROVAS, Universidade da Califórnia em San Diego COLLIN L. BROHOLM, Universidade Johns Hopkins PAUL M. CHAIKIN, Novo York University GEORGE W. CRABTREE, Argonne National Laboratory ELBIO DAGOTTO, University of Tennessee e Oak Ridge National Laboratory DUANE DIMOS, Sandia National Laboratories SIDNEY R. NAGEL, Universidade de Chicago MONICA OLVERA DE LA CRUZ, Northwestern University ARTHUR P. RAMIREZ, Alcatel- Lucent MARK D. STILES, Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia ANTOINETTE TAYLOR, Laboratório Nacional de Los Alamos DALE J. VAN HARLINGEN, Universidade de Illinois em Urbana-Champaign FRED WUDL, Universidade da Califórnia em Santa Bárbara Equipe DONALD C. SHAPERO, Diretor, Conselho em Física e Astronomia NATALIA J. MELCER, Oficial de Programa Sênior MERCEDES M. ILAGAN, Assistente Administrativo VAN AN, Associado Financeiro vi

CONSELHO DE FÍSICA E ASTRONOMIA ANNEILA I. SARGENT, Instituto de Tecnologia da Califórnia, Presidente MARC A. KASTNER, Instituto de Tecnologia de Massachusetts, Vice-Presidente JOANNA AIZENBERG, Universidade de Harvard JONATHAN A. BAGGER, Universidade Johns Hopkins JAMES E. BRAU, Universidade de Oregon PHILIP H. BUCKSBAUM, Universidade de Stanford ADAM S. BURROWS, Universidade do Arizona PATRICK L. COLESTOCK, Laboratório Nacional de Los Alamos RONALD C. DAVIDSON, Universidade de Princeton ANDREA M. GHEZ, Universidade da Califórnia em Los Angeles PETER F. GREEN, Universidade de Michigan LAURA H. GREENE, Universidade de Illinois em Urbana-Champaign WICK C. HAXTON, Universidade de Washington JOSEPH HEZIR, Grupo EOP, Inc. ALLAN H. MacDONALD, Universidade do Texas em Austin HOMER A. NEAL, Universidade de Michigan JOSE N. ONUCHIC , Universidade da Califórnia em San Diego WILLIAM D. PHILLIPS, Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia CHARLES E. SHANK, Laboratório Nacional Lawrence Berkeley THOMAS N. THEIS, IBM TJ Centro de Pesquisa Watson MICHAEL S. TURNER, Universidade de Chicago C. MEGAN URRY, Equipe da Universidade de Yale DONALD C. SHAPERO, Diretor NATALIA J. MELCER, Oficial de Programa Sênior MICHAEL H. MOLONEY, Oficial de Programa Sênior ROBERT L. RIEMER, Oficial de Programa Sênior DAVID B. LANG, Oficial Associado do Programa CARYN J. KNUTSEN, Assistente Sênior do Programa MERCEDES M. ILAGAN, Assistente Administrativo VAN AN, Associado Financeiro vii

BOARD ON LIFE SCIENCES KEITH YAMAMOTO, University of California at San Francisco, Chair ANN M. ARVIN, Stanford University School of Medicine RUTH BERKELMAN, Emory University DEBORAH BLUM, University of Wisconsin em Madison VICKI L. CHANDLER, University of Arizona JEFFERY L. DANGL , Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill PAUL R. EHRLICH, Universidade de Stanford MARK D. FITZSIMMONS, Fundação John D. e Catherine T. MacArthur JO HANDELSMAN, Universidade de Wisconsin em Madison KENNETH H. KELLER, Escola de Estudos Internacionais Avançados da Universidade Johns Hopkins , Bolonha, Itália JONATHAN D. MORENO, Universidade da Pensilvânia RANDALL MURCH, Instituto Politécnico da Virgínia e Universidade Estadual MURIEL E. POSTON, Skidmore College JAMES REICHMAN, Universidade da Califórnia em Santa Bárbara BRUCE W. STILLMAN, Laboratório Cold Spring Harbor MARC T. TESSIER -LAVIGNE, Genentech, Inc. JAMES TIEDJE, Michigan State University CYNTHIA WOLBERGER, Equipe da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins FRANCES E. SH ARPLES, Diretor KERRY A. BRENNER, Oficial Sênior de Programa ADAM P. FAGEN, Oficial Sênior de Programa ANN H. REID, Oficial Sênior de Programa MARILEE K. SHELTON-DAVENPORT, Oficial Sênior de Programa REBECCA L. WALTER, Assistente Sênior de Programa MERCURY FOX, Assistente de Programa ANNA FARRAR, Associada Financeira viii

Prefácio O Conselho Nacional de Pesquisa das Academias Nacionais convocou o Comitê de Materiais e Processos Biomoleculares (BMAP) para avaliar o trabalho atual e a promessa futura na interseção da biologia com a ciência dos materiais. O Comitê de Ciências do Estado Sólido do Conselho de Física e Astronomia desenvolveu a carga para este estudo em consulta com o Conselho de Ciências da Vida e os patrocinadores do estudo no Departamento de Energia e na National Science Foundation. O Comitê sobre BMAP foi encarregado de identificar as questões mais convincentes e as oportunidades científicas emergentes na interface entre a biologia e a matéria condensada e a pesquisa de materiais, sugerir estratégias para melhor atender às oportunidades identificadas e considerar as conexões com as prioridades nacionais, incluindo cuidados de saúde , segurança, força de trabalho e necessidades econômicas e sociais. O comitê não abordou a engenharia de tecidos neste relatório, porque ele foi revisado em outro lugar e foi considerado fora do escopo da comissão do comitê. A carga completa é reproduzida no Apêndice A. O Comitê sobre BMAP é composto por especialistas de muitas áreas diferentes de pesquisa de materiais biomoleculares (ver Apêndice B para esboços biográficos dos membros do comitê). O comitê completo se reuniu pessoalmente três vezes (consulte o Apêndice C) para tratar de seu cargo. O comitê formou subgrupos para estudar áreas com mais detalhes e desenvolver o texto do relatório final. Em suas reuniões, o comitê ouviu especialistas na área e das agências federais que apóiam o BMAP â € Š National Research Council, Capturing the Full Power of Biomaterials for Military Medicine, Washington, DC: The National Academies Press (2004) . ix

Pesquisa de prefácio. Teleconferências e e-mail foram utilizados para coordenar os trabalhos do comitê entre as reuniões. Este relatório final reflete o entusiasmo e entusiasmo do comitê pelas oportunidades de pesquisa no BMAP. O relatório é o produto da contribuição de muitas pessoas. Em nome do comitê, estendo meus agradecimentos e apreço a todos os que participaram dessa empreitada. Agradeço também aos palestrantes que fizeram apresentações formais nas reuniões do comitê (Apêndice C), essas apresentações e as discussões que se seguiram informaram fortemente as deliberações do comitê. Além disso, o comitê gostaria de agradecer às seguintes pessoas por seus insights: Ian Anderson, James R. Baker, Jr., Sergey B Â ezrukov, Mark S. Humayun, Nicholas A. Kotov, Ronald G. Larson, John Miao, Dean A. Myles, Kevin Plaxco, Rudi Podgornik, Clinton Potter, Roger Pynn, Don Rau, David A. Tirrell, Gregory Voth, Karen Wooley, Wenbing Yun e Joshua Z Â immerberg. Em particular, Theresa Reineke é agradecida por sua visão e contribuição para os desafios na área de síntese. Finalmente, agradeço também à equipe do Conselho Nacional de Pesquisa (Natalia Melcer, Adam Fagen, Don Shapero, Frances Sharples, Phillip Long e Caryn Knutsen) por sua orientação e assistência durante o desenvolvimento do relatório. Como presidente, agradeço aos membros do comitê por sua sabedoria, cooperação e compromisso em garantir o desenvolvimento de um relatório abrangente. Arup Chakraborty, Comitê Presidente do BMAP

Agradecimento aos revisores Este relatório foi revisado em forma de rascunho por indivíduos escolhidos por suas diversas perspectivas e especialização técnica, de acordo com os procedimentos aprovados pelo Comitê de Revisão de Relatórios do National Research Council (NRCs). O objetivo desta revisão independente é fornecer comentários francos e críticos que ajudarão a instituição a tornar seu relatório publicado o mais sólido possível e garantir que o relatório atenda aos padrões institucionais de objetividade, evidência e capacidade de resposta à cobrança do estudo. Os comentários da revisão e o rascunho do manuscrito permanecem confidenciais para proteger a integridade do processo deliberativo. Gostaríamos de agradecer às seguintes pessoas pela revisão deste relatório: Robert H. Austin, Universidade de Princeton, William F. Carroll, Jr., Occidental Chemical Corporation, Robert J. Full, Universidade da Califórnia em Berkeley, Laura L. Kiessling, Universidade de Wisconsin em Madison, Robert S. Langer, Instituto de Tecnologia de Massachusetts, Monica Olvera de la Cruz, Universidade Northwestern, Jose N. Onuchic, Universidade da Califórnia em San Diego, Joel M. Schnur, Laboratório de Pesquisa Naval e David A. Tirrell, Instituto de Tecnologia da Califórnia. Embora os revisores listados acima tenham fornecido muitos comentários e sugestões construtivos, eles não foram solicitados a endossar as conclusões ou recomendações, nem viram a versão final do relatório antes de seu lançamento. O xi

xii Agradecimento aos Revisores A revisão deste relatório foi supervisionada por Peter B. Moore, Universidade de Yale. Nomeado pelo NRC, ele foi responsável por garantir que um exame independente deste relatório fosse realizado de acordo com os procedimentos institucionais e que todos os comentários de revisão fossem cuidadosamente considerados. A responsabilidade pelo conteúdo final deste relatório é inteiramente da comissão de autoria e da instituição.

Conteúdo SUMÁRIO 1 1 INTRODUÇÃO 5 Conceitos Unificadores, 5 Áreas de Pesquisa, 6 Energias Alternativas e Renováveis, 6 Saúde e Medicina, 7 Segurança Nacional, 7 Materiais Bioinspirados de Próxima Geração, 8 Ferramentas Habilitadoras, 8 2 COMPREENDENDO OS PROCESSOS BIOMOLECULARES: 10 PRINCÍPIOS QUE PROJETO BIOMATERIAL GOVERNO Múltiplas interações cooperativas, 11 células, 12 materiais miméticos de células, 14 processos longe do equilíbrio, 15 princípios de projeto para mecânica, 17 automontagem, montagem dirigida e montagem espatiotemporal, 19 automontagem hierárquica, 21 montagens espatiotemporais complexas , 23 xiii

xiv Conteúdo Materiais de autorreplicação, autocura e evolução, 25 materiais de autocura, 26 materiais de autocura, 27 materiais que evoluem, 27 oportunidades e desafios, 28 leituras sugeridas, 30 3 MATERIAIS FUNCIONAIS AVANÇADOS 31 Energia alternativa e renovável de Biomolecular Materials and Processes, 32 Biofuels and Processes, 33 Biomimetic Photosynthesis, 36 Biomolecular Motors, 41 Advanced Functional Materials in Health and Medicine, 48 Medical Diagnostics, 49 Targeted Drug Delivery, Targeted Imaging Systems, Targeted Imaging, 51 Neural Prosthetics, 54 Advanced Functional Materials and National Security, 57 Environmental Surveillance and Biosensing, 57 Functional Biomaterials for Decontamination and Protection, 58 Next-Generation Bioinspired Materials, 59 Supermaterials from Biology, 59 Materials that Imiting Proteins and Membranes, 67 Opportunities and Challenges, 71 Alternative and Renewable Energy , 71 Saúde e Medicina, 72 Segurança Nacional, 73 Próxima Geração n Materiais Bioinspirados, 74 Leituras Sugeridas, 74 4 SONDAS E FERRAMENTAS PARA MATERIAIS BIOMOLECULARES 76 PESQUISA Microscopia Eletrônica Tridimensional, 78 Microscopia Ótica de Hiperresolução, 81 Métodos de Raios X, 83 Tomografia de Raios X, 84 Difração de Raios X, 85 Pequenos Espalhamento de raio-X de ângulo, 86 Espalhamento de nêutrons, 87

Contents xv Single-Molecule Probes, 90 Single-Molecule Instrumentation, 92 Theory and Computation, 95 Modeling and Computer Simulation, 97 Access to High Performance Computing Environments, 101 Informática e Data Mining, 102 Códigos de Domínio Público, 102 The Need for Theoretical Advances , 102 Síntese de Materiais Biomoleculares, 104 Métodos Sintéticos para Síntese de Materiais, 105 Síntese de Materiais Usando Maquinário Natural, 107 Síntese de Materiais Usando uma Caixa de Ferramentas Natural, 108 Rotas de Montagem Macromolecular, 109 Oportunidades e Desafios, 113 Leitura Sugerida, 115 5 INFRAESTRUTURA E RECURSOS 116 Educação e treinamento, 117 mecanismos para unir ciências biológicas e de materiais, 120 recursos compartilhados e instalações essenciais, 122 parceria entre indústria, academia e laboratórios nacionais, 125 comercialização de materiais biomoleculares, 126 propriedades biomoleculares, processos e produtos, 126 capacidade de fabricação e produção , 127 Área de Produto de Material Biomolecular Específico s, 127 Desafios e Oportunidades na Comercialização, 129 6 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES 131 Apoio à Pesquisa Interdisciplinar, 132 Desenvolvimento e Avaliação de Programas para Educação Interdisciplinar, 133 Enfatizando as Ciências Fundamentais e Aplicadas, 135 Desenvolvimento e Avaliação Nacional com Base em Instrumentos Midrange, 135 ANEXOS A Declaração da tarefa 139 B Biografias dos membros do comitê 140 C Agendas das reuniões do comitê 146 D Glossário 149


Energia renovável

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

Energia renovável, também chamado energia alternativa, energia utilizável derivada de fontes renováveis, como o Sol (energia solar), eólica (energia eólica), rios (energia hidrelétrica), fontes termais (energia geotérmica), marés (energia das marés) e biomassa (biocombustíveis).

No início do século 21, cerca de 80 por cento do suprimento de energia do mundo era derivado de combustíveis fósseis como carvão, petróleo e gás natural. Os combustíveis fósseis são recursos finitos, a maioria das estimativas sugere que as reservas comprovadas de petróleo são grandes o suficiente para atender à demanda global pelo menos até meados do século XXI. A combustão de combustíveis fósseis tem uma série de consequências ambientais negativas. As usinas movidas a fósseis emitem poluentes atmosféricos, como dióxido de enxofre, partículas, óxidos de nitrogênio e produtos químicos tóxicos (metais pesados: mercúrio, cromo e arsênico), e fontes móveis, como veículos movidos a fóssil, emitem óxidos de nitrogênio, carbono monóxido e material particulado. A exposição a esses poluentes pode causar doenças cardíacas, asma e outros problemas de saúde humana. Além disso, as emissões da combustão de combustíveis fósseis são responsáveis ​​pela chuva ácida, que levou à acidificação de muitos lagos e consequentes danos à vida aquática, danos às folhas em muitas florestas e à produção de smog em ou perto de muitas áreas urbanas. Além disso, a queima de combustíveis fósseis libera dióxido de carbono (CO2), um dos principais gases de efeito estufa que causam o aquecimento global.

Em contraste, as fontes de energia renováveis ​​foram responsáveis ​​por quase 20 por cento do consumo global de energia no início do século 21, principalmente de usos tradicionais de biomassa, como lenha para aquecimento e cozinhar. Em 2015, cerca de 16 por cento da eletricidade total do mundo vinha de grandes usinas hidrelétricas, enquanto outros tipos de energia renovável (como solar, eólica e geotérmica) respondiam por 6 por cento da geração total de eletricidade. Alguns analistas de energia consideram a energia nuclear uma forma de energia renovável devido às suas baixas emissões de carbono. A energia nuclear gerou 10,6 por cento da eletricidade mundial em 2015.

O crescimento da energia eólica ultrapassou 20% e a fotovoltaica cresceu 30% ao ano na década de 1990, e as tecnologias de energia renovável continuaram a se expandir ao longo do início do século XXI. Entre 2001 e 2017, a capacidade total instalada de energia eólica mundial aumentou 22 vezes, passando de 23.900 para 539.581 megawatts. A capacidade fotovoltaica também se expandiu, aumentando em 50 por cento apenas em 2016. A União Europeia (UE), que produziu cerca de 6,38 por cento de sua energia a partir de fontes renováveis ​​em 2005, adotou uma meta em 2007 de aumentar esse número para 20 por cento até 2020. Em 2016, cerca de 17 por cento da energia da UE veio de fontes renováveis . A meta também incluiu planos para reduzir as emissões de dióxido de carbono em 20% e garantir que 10% de todo o consumo de combustível venha dos biocombustíveis. A UE estava bem encaminhada para atingir essas metas até 2017. Entre 1990 e 2016, os países da UE reduziram as emissões de carbono em 23% e aumentaram a produção de biocombustíveis para 5,5% de todos os combustíveis consumidos na região. Nos Estados Unidos, vários estados responderam às preocupações com as mudanças climáticas e a dependência de combustíveis fósseis importados estabelecendo metas para aumentar a energia renovável ao longo do tempo. Por exemplo, a Califórnia exigia que suas principais empresas de serviços públicos produzissem 20% de sua eletricidade a partir de fontes renováveis ​​até 2010 e, no final daquele ano, as concessionárias da Califórnia estavam a menos de 1% da meta. Em 2008, a Califórnia aumentou esse requisito para 33% até 2020 e, em 2017, o estado aumentou ainda mais sua meta de uso de energias renováveis ​​para 50% até 2030.


O Conselho (2020-2021)

Aneesha Manocha é estudante do segundo ano de Chapel Hill, NC, com especialização em Engenharia Elétrica com certificados em Energia Sustentável, Estudos Ambientais e Aplicações de Computação. Ela está particularmente interessada em modelagem de sistema de macroenergia, hidrogênio e tecnologia de célula de combustível R & ampD e a interseção entre energia, engenharia e política.

Hannah é júnior de Massachusetts e está se formando em economia, com certificados em estudos ambientais, estatística e aprendizado de máquina e estudos latino-americanos. Ela está interessada em conflitos relacionados à extração e distribuição de recursos naturais, bem como implementação econômica de infraestrutura de energia em países em desenvolvimento. Ela é apaixonada por explorar as interseções dos setores público e privado para projetar mecanismos que tornem o acesso à energia acessível.

Cathy é júnior no departamento de ciência da computação de Santa Clara, Califórnia. Ela está interessada em sustentabilidade, energia renovável e meio ambiente, bem como em biologia computacional. Ela é membro da equipe de mergulho e natação Varsity de Princeton e, fora da água, ela gosta de tocar piano e assistir a filmes antigos de Hollywood ou dramas de época.

Diane é uma estudante do segundo ano de Nova York no departamento de Engenharia Elétrica. Ela também está buscando certificados em Energia Sustentável e Empreendedorismo. Seus interesses incluem células solares de película fina e tecnologias LED, design de circuitos integrados e transporte elétrico. Em seu tempo livre, Diane adora se mover dançando e boxeando.

Sydney é um júnior de Mahopac, Nova York, estudando Engenharia Química e Biológica com um certificado em energia sustentável. Ela está interessada em sustentabilidade e como podemos trabalhar para reduzir nossa pegada de carbono, desde nossas fontes de energia até como vivemos nossas vidas diárias.

Diretor de Eventos Campus

Riti é estudante do segundo ano do curso de Engenharia Civil e Ambiental com certificado em Energia Sustentável. Ela está interessada em estudar soluções em larga escala para a crise de energia, especialmente a interseção de tecnologia e política em relação à transição para uma energia limpa.

Diretor de Pesquisa e Relatórios de AMP

Meu nome é Arielle Rivera e sou de Baltimore, Maryland. Estou no segundo ano estudando engenharia elétrica com certificados em Energia Sustentável e Estudos Latino-Americanos.

Codiretora de Serviços Comunitários e Advocacia

Farah é um calouro de Kuala Lumpur, Malásia. She plans on concentrating in Chemical and Biological Engineering and is interested in climate justice and energy equity. She also enjoys thrifting and finding other ways to make sustainable choices in her life. In her free time, she likes to bake, hike, and beat people at board games.

Co-Director of Community Service & Advocacy

Ben is a second-year engineering student from Washington, D.C. His studies are centered around sustainable technology and finance, mostly in the EE and CE departments. In the future, he hopes to work on climate change innovation in the energy and transportation sectors. In his free time, he likes to read, play basketball and talk to people.Roy Scott

Skyler is a senior from Piedmont, CA majoring in Computer Science and pursuing a certificate in Ethnographic Studies. Outside of the classroom, Skyler is curious about renewable energy and the social impacts of emerging energy technologies. She believes that PUEA's educational approach to all sectors of the energy industry continues to help the Princeton community grow and stay informed.

Jesse is a junior from Lincoln, Nebraska studying Physics with a certificate in Applied and Computational Mathematics. He is interested in energy technologies and science policy. Besides doing problem sets, he enjoys food, dancing, and philosophy.

Director Emeritus of Finance

CAMPUS EVENTS

Peyton is a senior from Houston in the Civil and Environmental Engineering Department. Pursuing certificates in Finance and in Sustainable Energy, Peyton is interested in the intersection of sustainable technology, energy finance, and entrepreneurship – with a focus on emission trading schemes, pricing incentives, and other market-oriented approaches that promote energy efficiency and renewable energy integration. She is passionate about encouraging interdisciplinary conversations through PUEA to bring together different perspectives and facilitate innovative solutions.

Musab A. is a junior in the Electrical Engineering department hailing from Riyadh, Saudi Arabia. He's been interested in the energy space as it forms the foundation for global politics and commerce and hopes to engage in impactful disciplinary work throughout his career in the energy space. In his free time, you can probably find him cycling somewhere in Princeton or watching a rom-com.

Kevin is a junior from Scotch Plains, New Jersey majoring in Mechanical and Aerospace Engineering and pursuing a certificate in Robotics and Intelligent Systems. He is interested in energy infrastructure and efficiency, particularly with regards to the need to find base-load energy sources to supplement renewables. Outside of academics, he enjoys tinkering in the machine shop, high fantasy, and playing smooth jazz on his saxophone.

Fall Conference Director Emeritus

Grace is a junior from Johns Creek, Georgia. She is studying Chemical and Biological Engineering, with an intended certificate in COS. She is interested in nano-electronics and their applications to alternative energy sources.

Dani Ball is a junior from Park City, Utah in Rockefeller College. She is planning on studying Environmental Engineering, while taking as many classes in the humanities fields as possible. She is interested in furthering sustainable technology while working to broaden its reach and application throughout society. She also enjoys spending time with friends and family, exploring, and playing music.

Patrick is a junior in the Mechanical & Aerospace Engineering department and is planning to complete the Engineering & Management Systems (EMS) and Applications in Computing (PAC) certificates. He is interested in renewable energy, data analysis, public policy, and the intersection of these different fields.

Majoring in Computer Science with a certificate in Contemporary European Politics and Society. Player on the men's varsity water polo team. Especially interested in photovoltaics.

Marie Li is a sophomore from Provo, Utah, pursuing a major in Chemical and Biological Engineering and a certificate in Engineering Physics. She is interested in developing affordable, flexible, lightweight solar arrays to turn surfaces into energy harvesting sources. In her free time, she enjoys figure skating and fencing.

Maya Jairam is a first-year student from Queens, New York in Whitman College. She is planning to major in Chemical and Biological Engineering. Maya is very passionate about environmental advocacy and wants to explore the intersection of renewable energy in engineering. In her free time she enjoys learning Spanish, painting, and being active outdoors.

Jessica is a freshman from central Florida planning to major in Mechanical or Chemical Engineering while pursuing a certificate in History & the Practice of Diplomacy. She is especially interested in nuclear power and the intersection of policy and energy. In her free time she enjoys swimming, biking, and watching cars drive around a track.

RESEARCH & REPORTS

Neha Chauhan is a senior from Highlands Ranch, Colorado, pursuing a major in Neuroscience and certificates in Global Health and Quantitative and Computational Biology. Neha is invested in science communication as a tool to help increase interest in sustainability and expand implementation of renewable energy.

Joe is a senior from East Brunswick, NJ, in the Ecology and Evolutionary Biology department and earning a certificate in Environmental Studies. He is interested in the impact of alternative energy systems on the natural environment and minimizing human disturbances on ecosystems. In his free time, he enjoys bird-watching and jamming out to music.

Rei is a senior from Auburn, Alabama majoring in Civil and Environmental Engineering. She’s interested in urban sustainability, pollution, and the intersection of the human and the environment, especially as it pertains to environmental justice.

Amy is a junior from Los Angeles in the Geosciences department. She is interested in energy democratization and hopes to work in the environmental nonprofit sector in the future. In her free time, she enjoys hiking and playing guitar.

Chris is a senior in the MAE department from Red Bank, NJ. He is passionate about climate advocacy and renewable energy, and hopes to pursue a career in both. Chris is also a member of the Men's Heavyweight Rowing Team and University Cottage Club.

Zihan is a sophomore from New York City and is majoring in Chemical and Biological Engineering, with possible certificates in Sustainable Energy and Material Science and Engineering. He is interested in advancing fusion technology. In his free time, he enjoys playing different kinds of Rubik's cubes and Ping Pong.

Ben is a sophomore from Harvard, Massachusetts. He plans on studying Geosciences with a focus on atmospheric science and oceanography. He is especially interested in the intersection of energy and climate science. In his free time, he enjoys backpacking and cycling.

Sunay is a freshman who intends to study math. He is interested in AI and its application to sustainability.

OUTREACH

Annika is a first-year student in Butler College from Long Island, New York. She plans on majoring in the Princeton School of Public and International Affairs. She is particularly interested in the intersection of energy and policy and would like to purse a certificate in Environmental Studies.

Lu is a first-year student from Harrisonburg, Virginia. She plans on majoring in Computer Science major and hopes to pursue a certificate in Sustainable Energy or Environmental Studies. She is interested in environmental/energy policy and sustainable solutions at the local level in particular.

Oi! My name is Xabier Sardina and I am a current freshman at Princeton. My entire family being from Spain, I am fluent in Spanish alongside English. As of now, I am interested in majoring in ORFE. I am a proud member of PUEA, contributing to the organization as a part of the Outreach Committee. I have been attracted to the subject of energy and renewable resources for as long as I can remember, and have recently been particularly fascinated by the concept of using the great depths of space to obtain resources for our society. So, if you are interested in this topic or in energy in general and want to chat, feel free to reach out! You can contact me through this email: [email protected]

Erin is a freshman from New Jersey. She plans on majoring in Computer Science with a certificate in Sustainable Energy. She is especially interested in sustainable energy technologies.

CONFERENCE

I'm from Charlotte, North Carolina. I'm a senior in the Geoscience department. I'm interested in sustainability and decarbonization and want to help prevent the extremes of climate change.

Masi is a junior in the Civil and Environmental Engineering department and is pursuing certificates in Sustainable Energy, Statistics & Machine Learning, and Urban Studies. He is particularly interested in the intersection of energy technology, transport, and policy, and is currently working on his Junior Paper focusing on statistical methods for optimising energy systems modelling. Outside PUEA, he is involved in the Kenya Team of Princeton’s Engineers Without Borders chapter and PU Nonprofit Consulting. In his free time, he enjoys road cycling and hiking.

Neo is a sophomore from Dallas, Texas majoring in Operations Research and Financial Engineering and pursuing certificates in Sustainable Energy, Statistics and Machine Learning, and Finance. He is interested in sustainable finance, energy economics, and data science applications in energy production.

Edward is a first year student from Vancouver, Canada. He is planning to major in Civil and Environmental Engineering and hopes to pursue certificates in Environmental Studies and Sustainable Energy. He is interested in sustainable technology that can be implemented in developing areas. His favourite past time would be exploring the outdoors, especially through skiing and hiking trips.

Carolina is a sophomore from Milan, Italy, majoring in Operations Research and Financial Engineering, with potential certificates in Finance and Sustainable Energy. She is interested in the financing of renewable energy businesses and in the intersection between climate change and business sustainability. Fun fact: Carolina drives a fully electric car.

Ho Joon is a sophomore from New Jersey pursuing a degree in Chemical and Biological Engineering. He is particularly interested in bridging the need for sustainable energy production while meeting the heavy demand for energy usage on a global scale. Ho Joon is also a proud member of Engineers without Borders, and in his free time enjoys watching soccer, anime, and winning imaginary arguments in his head.

Evan is a first-year student from Philadelphia, Pennsylvania. He is interested in computer science as well as research on energy and sustainability, and hopes to use STEM to contribute to the shift towards renewable infrastructure.

Freddie is a freshman from Greater Philadelphia pursuing computer science with interests in math as well as sustainable energy and the environment. Beyond academics, he is in Club Swimming and loves cycling and board games.

Manali is a freshman from Pittsburgh, Pennsylvania and is planning on studying mechanical and aerospace engineering. She is very interested about sustainable and renewable energy sources and is wants to learn about more ways to reduce our carbon footprint. In her free time she enjoy playing tennis.

Emily is a freshman from Troy, Michigan thinking about majoring in Civil and Environmental Engineering and pursuing a potential certificate in Finance. She's specifically interested in the intersection between material science, energy, and the natural world. In her free time, she enjoys going on walks, birdwatching, and playing the flute.

Bryan is a freshman from South Brunswick, New Jersey, planning on majoring in Mechanical and Aerospace engineering. He is interested in pursuing nuclear engineering in graduate school to help conduct research on commercializing nuclear fusion energy. In his free time, Bryan likes to play soccer and watch MMA fights.

Tevin is from Nairobi, Kenya, and is studying Political Economy within the Economics Department. He is interested in the role of public-private partnerships and global policy in anchoring business sustainability. Outside school and work, he loves hiking (and virtually all outdoor activities) and is always happy to grab a cup of coffee!

Mathias is a junior in the Mechanical Engineering department and is from New Jersey. He is interested in energy efficiency and the rapidly changing energy space, particularly when it comes to the local energy practices within the state. In the future, he hopes to apply his mechanical degree and architecture certificate towards energy systems in structures. Outside of class, he enjoys soccer and ice cream.

Owen is a School of Public and International Affairs major with certificates in History and the Practice of Diplomacy, Sustainable Energy and Neuroscience. Owen hails from Charlotte, North Carolina. Owen’s research interests have been wide and unorganized, but he primarily loves diving into the world of energy. Within energy, Owen mainly researches and works in energy finance, the geopolitics of oil and gas, and the electricity grid. In the past he has managed to write on the topics of Middle Eastern Terrorism, U.S. electoral politics, and Gerrymandering, and he is now researching open-credit institutions across different European nations. This year Owen is excited to help lead the energy storage panel.

Adam Hoffman is a sophomore studying Politics. Growing up in Houston, Texas, America's oil and gas capital, he has always been surrounded by and interested in energy-related issues. He spent a summer interning at a local energy start-up and is interested in the future of natural gas, nuclear energy, and overcoming intermittency. On campus, he is also involved in the entrepreneurial and political communities.


Energy in the 21st Century

Many events that affect global energy production and consumption have occurred since the second edition of Energy in the 21st Century appeared in 2011. For example, an earthquake and tsunami in Japan led to the disruption of the Fukushima nuclear facility and a global re-examination of the safety of the nuclear industry. Oil and natural gas prices continue to be volatile, and the demand for energy has been affected by the global economy. The third edition updates data and the discussion of recent events.

Energy in the 21st Century has been used as the text for an introductory energy course for the general college student population. Based on student feedback, we have included several features that enhance the value of the third edition as a textbook. In particular, we have included learning objectives at the beginning of each chapter, end of chapter activities, a comprehensive index, and a glossary. Points to Ponder are abbreviated as P2P in the Learning Objectives boxes and are provided throughout the text. They are designed to encourage the reader to consider the material from different perspectives.


Maine Renewable Portfolio Standard (RPS)

Maine Statute (M.R.S. 35-A §3210) requires 30% of Maine load be satisfied by existing renewable electricity generation (Class II) and 10% of Maine load in 2017 and beyond be satisfied by new renewable resources (Class I), and increasing amounts of Class IA and thermal renewable energy credits (TRECs) starting 2020 and 2021, respectively. By 2030, 40% of Maine load must be satisfied by Class IA resources and 4% by TRECs. Chapter 311 of the Commission rules implements the RPS .

RPS Resource Certification

Class II resources self-certify as participants in the NEPOOL GIS REC tracking system.

Class I, IA, and TREC resources require certification by the Maine PUC.

A Class I Renewable Energy Resource is a new renewable capacity resource such as wind, solar, biomass, hydropower or geothermal. Class I facilities must register with the Maine Public Utilities Commission. Registered facilities are listed here:


Chapter 21 - Renewable Energy - Biology

Chapter 3-
Solutions to Acid Rain

Introdução
Since acid rain is mainly caused by coal-burning power plants that release nitrogen oxides and sulfur dioxide, we should investigate what are the steps that can be done about the operations, the fuels and the facilities of these power plants.

Reducing Pollution
First, power plants should use coal that contains less sulphur. Sulphur is present in coal as an impurity, and it reacts with air when the coal is burned to form sulphur dioxide. Another option is to wash the coal to remove some of the sulfur. Power plants can also install devices called scrubbers to chemically remove the sulphur dioxide from the gases leaving the smokestacks of the power plants. Alternatively, power plants can change their fuels by using natural gas. Burning natural gas creates much less sulfur dioxide than coal.

Other Sources of Energy

Another way to reduce acid rain is to produce energy without using fossil fuels. Instead, we can use renewable energy sources, like solar and wind power. Renewable energy sources help reduce acid rain because they create much less pollution. There are also other sources of electricity, such as nuclear power, hydropower, and geothermal energy. Of these, nuclear and hydropower are used most widely. More efforts are required from all sectors of the society to promote renewable energy sources.

Cars and trucks are also major sources of the pollutants that cause acid rain. While one car alone does not produce much pollution, all the cars on the road added together create lots of pollution. One type of technology used in cars is called a catalytic converter. This piece of equipment has been used for over 20 years to reduce the amount of nitrogen oxides released by cars. Some new cars can also use cleaner fuels, such as natural gas. Catalytic converters reduce nitrogen oxide emissions from cars. These devices have been used for over twenty years now, and it is important to keep them working properly. EPA has also made, and continues to make, changes to gasoline that allows it to burn cleaner.

There are also alternative energies available to power automobiles, including natural gas powered vehicles, battery-powered cars, fuel cells, and combinations of alternative and gasoline powered vehicles.

The Role of The Individuals

Governments, power companies and scientists are not the only ones that can take action to stop acid rain. We can become part of the solution. It may seem like there is not much that one individual can do. However, environmental problems are usually caused by the cumulative actions of millions of individual people. Therefore, each individual can also reduce their contribution to the problem and become part of the solution.

Understanding the Problems

The first step we can take to help control acid rain is to understand the problem and its solutions. We should also tell others about it. By telling our classmates, parents, and teachers about what we learned on this project, we can help educate them about the problem of acid rain. We can make a difference!

Conserve Energy
Since energy production creates large amounts of the pollutants that cause acid rain, one important step we can take is to conserve energy. We can do this in a number of ways, such as turning off lights, computers, televisions, video games, and other electrical equipment when we re not using them encourage our parents to buy equipment that uses less electricity, in cluding lights, air conditioners, heaters, refrigerators, and washing machines and try to limit the use of air conditioning. We should also consider installing compact fluorescent bulbs instead of high wattage incandescent bulbs. Using less energy benefits the environment because the energy used comes from fossil fuels, which can lead to acid rain.


Driving cars and trucks produces large amounts of nitrogen oxides, which cause acid rain. To help cut down on air pollution from cars, we can carpool or take public transportation, such as buses and MTR. We can also use alternative fuels, such as ethanol, propane or natural gas. Walk as much as possible and take vehicular transport only when it is absolutely necessary.

In developed countries, public concern over the effects of acid rain has been transformed (after a lot of controversy and fighting) into laws, restricting the amount of sulfur dioxide and nitrogen oxides, which can be released by power plants and industries. The result has been a slight decrease in annual acidic deposition in some areas. There is also evidence that when acid deposition is reduced ecosystems can recover. In the future, it will be very important for the industrialized world to teach the developing world its technology and experience, in order to make sure that the same acid rain problems do not occur in these countries when they consume more energy during the process of industrialization.


Assista o vídeo: Amazing model of Mini-Wind Generator for school (Dezembro 2021).