Em formação

Que tipo de criatura faz esses montes?


Local: Irlanda do Sul, Apareceu: 2020 Rio mais próximo: 500 metros descendo a colina sul A água também desce a colina, mas há drenagem para não inundar a grama. Visto antes: planta em vaso

Eu usei terra assim de um local diferente para plantar um vaso de planta em um vaso de plantas e esses tipos de montículos aconteceram depois lá também. Apenas em uma escala menor.

Nunca vi nada se mover. Provavelmente ativo à noite.


Caranguejo fantasma

Caranguejos fantasmas são caranguejos semiterrestres da subfamília Ocypodinae. Eles são caranguejos costeiros comuns em regiões tropicais e subtropicais em todo o mundo, habitando tocas profundas na zona entre-marés. São necrófagos generalistas e predadores de pequenos animais. O nome "caranguejo fantasma" deriva de sua noite e de sua coloração geralmente pálida. [1] [2] Às vezes também são chamados de caranguejos de areia, embora o nome se refira a vários outros caranguejos que não pertencem à subfamília.

As características da subfamília incluem uma garra sendo maior que a outra, olhos grossos e alongados e um corpo em forma de caixa. As diferenças nos tamanhos das garras, no entanto, não são tão marcantes como nos caranguejos violinistas machos. A subfamília inclui 22 espécies em dois gêneros.


ESSES FUROS NO SEU GRAMADO PODEM SER CAUSADOS POR MUITAS COISAS

& quotVocê é o agente de extensão? Você não é um homem ”, disse a voz do interlocutor no telefone.

Sim senhor, também foi uma decepção para meu pai. Ops, não começamos muito, me peguei pensando.

“Bem, talvez você possa me ajudar. Tenho centenas de pequenos buracos no meu gramado e quero saber quais são. ''

Tanto para melhorar a situação. Ele tinha acabado de fazer uma das perguntas mais frequentes e menos respondidas que ouvimos. Existem muitas causas possíveis para os buracos no gramado, mas apenas uma maneira de ter certeza do problema de qualquer indivíduo: caminhe pelo gramado ou sente-se à janela até descobrir o culpado.

Os buracos são frequentemente causados ​​por atividades benéficas de insetos e minhocas. Embora os buracos sejam considerados feios pelas pessoas, a escavação de formigas e besouros e a construção de túneis nas minhocas ajudam a arejar e soltar o solo. Os buracos das formigas são minúsculos e podem ou não ter montes de solo ao seu redor. Os buracos das minhocas são maiores e frequentemente cercados por grânulos de solo (peças fundidas), ao invés de solo fino.

Uma causa comum de buracos em gramados são os pássaros que se alimentam de larvas brancas, vermes da teia do gramado ou outros insetos do solo. Novamente, os pássaros estão prestando um serviço por meio do controle natural de insetos, embora possa ser difícil sentir muita gratidão quando você está olhando para uma superfície de gramado que de repente se assemelha a um tabuleiro de xadrez chinês.

Buracos do tamanho de uma moeda de dez centavos a um quarto, ocorrendo de maio a julho, podem ser causados ​​por maio, junho e besouros japoneses que amadurecem no solo e então cavam seu caminho para começar a se alimentar de flores, vegetais e arbustos. Seus hábitos alimentares indiscriminados farão você desejar que eles tivessem ficado na clandestinidade.

No verão, vespas escolóides azuis e pretas metálicas pairam sobre o gramado, selecionando locais para cavar e parasitar as larvas no solo. Mais tarde, quando os ovos que puseram nas larvas chocaram e amadureceram, a nova geração de vespas benéficas emergirá. Essas vespas podem ocorrer em grande número para assustar as pessoas e evitar que cortem a grama, mas os insetos não são agressivos com as pessoas, a menos que sejam manipulados.

Em meados do verão, as cigarras começam a emergir do solo, deixando um orifício de saída atrás delas. Freqüentemente chamados de gafanhotos, esses insetos têm um ciclo de vida de até 17 anos, dependendo da espécie. No entanto, alguns gafanhotos surgirão todos os anos, pois os ciclos se sobrepõem e já que há pelo menos duas espécies de cigarras em nossa área.

Pouco depois do surgimento das cigarras, a enorme vespa assassina de cigarras aparece em cena. Esta vespa amarela e preta brilhante mede facilmente até 5 centímetros de comprimento e é muito robusta. Precisa ser, já que o propósito da vida é picar e paralisar as cigarras, arrancá-las da árvore e depois enterrá-las no gramado. A cigarra é enfiada em um buraco escavado anteriormente pela vespa, então a vespa põe um ovo em sua presa antes de voar para repetir o processo.

Claro, existem causas não benéficas para buracos no gramado. O gato do seu vizinho de alguma forma confundindo a superfície de veludo de sua grama com uma caixa de areia para gatinhos tem pouco valor positivo. Arganazes, os primos tunelizadores dos ratos do campo, fazem pequenos buracos do tamanho de um quarto em todos os lugares em que vêm à superfície para ver o que está acontecendo no mundo. Os besouros mencionados antes não fazem nada de bom para você acima ou abaixo do solo.

Embora existam ainda mais causas possíveis para buracos no gramado, o resultado final é que cada caso individual provavelmente será melhor resolvido se o proprietário parar um pouco para observar a atividade surpreendente acontecendo em seu quintal e, em seguida, tirar suas próprias conclusões . Você pode achar que é uma experiência fascinante.

* Sargent é um agente de extensão cooperativa da Virginia Tech em Newport News. Os residentes de Newport News que desejam obter mais informações sobre jardinagem podem ligar para o serviço em 599-8899 em Hampton, ligue 727-1117 em York County, ligue 898-3730 e em James City County, ligue 566-1367.


Conteúdo

O termo "organismo" (do grego ὀργανισμός, organismos, de ὄργανον, organon, ou seja, "instrumento, implemento, ferramenta, órgão dos sentidos ou apreensão") [11] [12] apareceu pela primeira vez na língua inglesa em 1703 e assumiu sua definição atual em 1834 (Oxford English Dictionary). Está diretamente relacionado ao termo "organização". Há uma longa tradição de definir os organismos como seres auto-organizados, remontando pelo menos a 1790 de Immanuel Kant. Crítica de Julgamento. [13]

Um organismo pode ser definido como um conjunto de moléculas funcionando como um todo mais ou menos estável que exibe as propriedades da vida. As definições do dicionário podem ser amplas, usando frases como "qualquer estrutura viva, como uma planta, animal, fungo ou bactéria, capaz de crescer e se reproduzir". [14] Muitas definições excluem vírus e possíveis formas de vida não orgânicas artificiais, pois os vírus dependem da maquinaria bioquímica de uma célula hospedeira para a reprodução. [15] Um superorganismo é um organismo que consiste em muitos indivíduos trabalhando juntos como uma única unidade funcional ou social. [16]

Tem havido controvérsia sobre a melhor maneira de definir o organismo [17] [18] [19] [20] [21] [22] [23] [24] [25] [26] e, na verdade, se tal definição é necessária. [27] [28] Várias contribuições [29] são respostas à sugestão de que a categoria de "organismo" pode não ser adequada em biologia. [30] [ página necessária ]

Edição de vírus

Os vírus não são normalmente considerados organismos porque são incapazes de reprodução, crescimento ou metabolismo autônomo. Embora alguns organismos também sejam incapazes de sobrevivência independente e vivam como parasitas intracelulares obrigatórios, eles são capazes de metabolismo e procriação independentes. Embora os vírus tenham algumas enzimas e moléculas características de organismos vivos, eles não têm metabolismo próprio; não podem sintetizar e organizar os compostos orgânicos a partir dos quais são formados. Naturalmente, isso exclui a reprodução autônoma: eles só podem ser replicados passivamente pela máquina da célula hospedeira. Nesse sentido, são semelhantes à matéria inanimada.

Embora os vírus não sustentem nenhum metabolismo independente e, portanto, geralmente não sejam classificados como organismos, eles têm seus próprios genes e evoluem por mecanismos semelhantes aos mecanismos evolutivos dos organismos. Assim, um argumento de que os vírus deveriam ser classificados como organismos vivos é sua capacidade de evoluir e se replicar por meio da automontagem. No entanto, alguns cientistas argumentam que os vírus não evoluem nem se reproduzem. Em vez disso, os vírus são desenvolvidos por suas células hospedeiras, o que significa que houve coevolução de vírus e células hospedeiras. Se as células hospedeiras não existissem, a evolução viral seria impossível. Isso não é verdade para as células. Se os vírus não existissem, a direção da evolução celular poderia ser diferente, mas as células seriam capazes de evoluir. Quanto à reprodução, os vírus dependem totalmente do maquinário dos hospedeiros para se replicar. [31] A descoberta de vírus com genes que codificam para o metabolismo de energia e síntese de proteínas alimentou o debate sobre se os vírus são organismos vivos. A presença desses genes sugere que os vírus já foram capazes de se metabolizar. No entanto, foi descoberto posteriormente que os genes que codificam para o metabolismo de energia e proteínas têm uma origem celular. Muito provavelmente, esses genes foram adquiridos por meio da transferência horizontal de genes de hospedeiros virais. [31]

Os organismos são sistemas químicos complexos, organizados de forma a promover a reprodução e alguma medida de sustentabilidade ou sobrevivência. As mesmas leis que governam a química não viva governam os processos químicos da vida. Geralmente, são os fenômenos de organismos inteiros que determinam sua adequação a um ambiente e, portanto, a sobrevivência de seus genes baseados no DNA.

Os organismos devem claramente sua origem, metabolismo e muitas outras funções internas aos fenômenos químicos, especialmente à química de grandes moléculas orgânicas. Os organismos são sistemas complexos de compostos químicos que, por meio da interação e do ambiente, desempenham uma ampla variedade de funções.

Os organismos são sistemas químicos semifechados. Embora sejam unidades individuais de vida (como exige a definição), eles não estão fechados ao ambiente ao seu redor. Para operar, eles constantemente absorvem e liberam energia. Os autótrofos produzem energia utilizável (na forma de compostos orgânicos) usando a luz do sol ou compostos inorgânicos, enquanto os heterótrofos absorvem os compostos orgânicos do meio ambiente.

O principal elemento químico desses compostos é o carbono. As propriedades químicas desse elemento, como sua grande afinidade para se ligar a outros pequenos átomos, incluindo outros átomos de carbono, e seu pequeno tamanho tornando-o capaz de formar ligações múltiplas, o tornam ideal como a base da vida orgânica. É capaz de formar pequenos compostos de três átomos (como o dióxido de carbono), bem como grandes cadeias de muitos milhares de átomos que podem armazenar dados (ácidos nucléicos), manter as células unidas e transmitir informações (proteínas).

Edição de macromoléculas

Os compostos que constituem os organismos podem ser divididos em macromoléculas e outras moléculas menores. Os quatro grupos de macromoléculas são ácidos nucléicos, proteínas, carboidratos e lipídios. Os ácidos nucléicos (especificamente ácido desoxirribonucléico ou DNA) armazenam dados genéticos como uma sequência de nucleotídeos. A sequência particular dos quatro tipos diferentes de nucleotídeos (adenina, citosina, guanina e timina) dita muitas características que constituem o organismo. A sequência é dividida em códons, cada um dos quais é uma sequência particular de três nucleotídeos e corresponde a um determinado aminoácido. Assim, uma sequência de DNA codifica uma proteína específica que, devido às propriedades químicas dos aminoácidos dos quais é feita, dobra-se de uma maneira específica e desempenha uma função específica.

Essas funções de proteína foram reconhecidas:

    , que catalisam as reações do metabolismo
  1. Proteínas estruturais, como tubulina ou colágeno
  2. Proteínas reguladoras, como fatores de transcrição ou ciclinas que regulam o ciclo celular
  3. Moléculas de sinalização ou seus receptores, como alguns hormônios e seus receptores
  4. Proteínas defensivas, que podem incluir tudo, desde anticorpos do sistema imunológico a toxinas (por exemplo, dendrotoxinas de cobras), a proteínas que incluem aminoácidos incomuns como a canavanina

Uma bicamada de fosfolipídios constitui a membrana das células que constitui uma barreira, contendo tudo dentro de uma célula e impedindo que os compostos passem livremente para dentro e para fora da célula. Devido à permeabilidade seletiva da membrana fosfolipídica, apenas compostos específicos podem passar por ela.

Todos os organismos consistem em unidades estruturais chamadas células, algumas contêm uma única célula (unicelular) e outras contêm muitas unidades (multicelulares). Organismos multicelulares são capazes de especializar células para desempenhar funções específicas. Um grupo dessas células é um tecido e, em animais, ocorrem como quatro tipos básicos: epitélio, tecido nervoso, tecido muscular e tecido conjuntivo. Vários tipos de tecido trabalham juntos na forma de um órgão para produzir uma função específica (como o bombeamento do sangue pelo coração ou como uma barreira ao meio ambiente como a pele). Esse padrão continua a um nível superior com vários órgãos funcionando como um sistema de órgãos, como o sistema reprodutor e o sistema digestivo. Muitos organismos multicelulares consistem em vários sistemas de órgãos, que se coordenam para permitir a vida.

Edição de Célula

A teoria celular, desenvolvida pela primeira vez em 1839 por Schleiden e Schwann, afirma que todos os organismos são compostos de uma ou mais células, todas as células vêm de células preexistentes e as células contêm as informações hereditárias necessárias para regular as funções celulares e para transmitir informações para a próxima geração de células.

Existem dois tipos de células, eucarióticas e procarióticas. As células procarióticas são geralmente únicas, enquanto as células eucarióticas são geralmente encontradas em organismos multicelulares. As células procarióticas não possuem uma membrana nuclear, então o DNA não está ligado dentro da célula. As células eucarióticas têm membranas nucleares.

Todas as células, sejam procarióticas ou eucarióticas, têm uma membrana que envolve a célula, separa seu interior do ambiente, regula o que entra e sai e mantém o potencial elétrico da célula. Dentro da membrana, um citoplasma salgado ocupa a maior parte do volume celular. Todas as células possuem DNA, o material hereditário dos genes, e RNA, contendo as informações necessárias para construir várias proteínas, como enzimas, o mecanismo primário da célula. Existem também outros tipos de biomoléculas nas células.


O que é um Pocket Gopher?

O esquilo é na verdade um roedor que vive no subsolo em um elaborado sistema de túneis que cava e mantém. Ele tem olhos pequenos, orelhas pequenas, mas garras grandes para cavar nas patas dianteiras (Figura 1.) A palavra & # 8220Bolsa & # 8221 em Pocket Gopher se refere às bolsas forradas de pele nas bochechas que este roedor usa para carregar comida. Outra adaptação interessante deste roedor é que seus lábios se fecham atrás seus dentes frontais salientes. Isso é para que o gopher possa mastigar o solo ou as raízes sem colocar sujeira em sua boca. O tamanho médio de um gopher adulto é de cerca de 25 centímetros do nariz à ponta da cauda.

Figura 1. O Southeastern Pocket Gopher vive em túneis subterrâneos. Fonte da imagem: http://www.floridiannature.com/rodents(2).htm


O que há de fazer nesses pequenos montes de & # 8216 sujeira & # 8217 no quintal?

Compartilhar isso:

QUERIDA JOAN: Encontramos pequenos montes de terra que apareceram em nosso quintal durante a noite. Você sabe o que pode ter feito isso? Eles têm apenas cerca de 5 a 7 centímetros de diâmetro.

Glenn Hori, Bay Area

CARO GLENN: Essas são as carcaças de minhocas, também chamadas de Nightcrawlers.

Eles podem parecer feios em seu quintal, mas são extremamente benéficos para o solo porque fundidos são outra palavra para cocô de minhoca, que é estrume e fertilizante grátis.

As minhocas saem à noite, o que explica seu outro nome, para se alimentar da vegetação. Se você tiver muito palha em seu gramado, as minhocas vão comer muito bem e deixar um pouco de fertilizante para trás.

Os montes de peças fundidas são comuns no início ao final da primavera e após chuvas fortes. Uma vez que o solo fica mais quente no verão, os vermes se dirigem para locais mais frios, mais profundos.

Em geral, é bom ter minhocas por perto. Eles adicionam fertilidade ao solo e sua escavação ajuda a arejá-lo. Você pode usar um ancinho para espalhar os fundidos ou deixá-los onde estão, se não o incomodarem. Eles irão eventualmente quebrar e desaparecer.

QUERIDA JOAN: Temos ratos em nossa garagem. Não tive sucesso em prendê-los.

Ontem retirei sua fonte de alimento. Marido deixou um saco de sementes de pássaro no chão da garagem. Mudei um monte de coisas por onde eles estavam viajando e tenho usado uma solução de alvejante para limpar.

Eu tentei as armadilhas pegajosas sem sucesso. Eu comprei uma casa com choque elétrico, mas preciso de baterias. Estou deixando a porta da garagem aberta durante o dia. Eles vão acabar porque não há comida? Acho que foi assim que os vermes entraram, porque alguém deixou a porta da garagem aberta há cerca de uma semana e meia.

Não quero usar veneno porque meu medo é não ser capaz de encontrá-los.

Não temos animais de estimação, exceto nossos amigos colibris selvagens.

Theresa Martinez, Bay Area

QUERIDA THERESA: Deixar a porta da garagem aberta durante o dia só convidará outras criaturas. Camundongos e ratos são noturnos, por isso geralmente dormem durante o dia e são ativos à noite.

Suspeito que tenha sido a comida, não a porta aberta, que os atraiu. Livrar-se da comida certamente é um bom primeiro passo, mas não irá expulsar automaticamente aquelas que você tem.

Você precisará ter certeza de que não há coisas que eles possam encontrar para comer, incluindo alimentos e bebidas em recipientes de plástico. Algum dia eu contarei a você sobre a bagunça que tive que limpar depois que ratos mastigaram várias garrafas de V-8 Splash.

Você também precisará procurar por ninhos ou possíveis locais de nidificação. Mesmo que os roedores não consigam encontrar coisas comestíveis na sua garagem, eles ainda podem querer morar lá.


Um zoológico de DNA mapeia os mistérios de todas as criaturas, grandes e pequenas

Cientistas do laboratório da Baylor College of Medicine em Houston estão sequenciando os genomas dos animais do mundo, um filamento de cada vez.

Maravilhados com o tamanho dos elefantes ou gritando com a fofura dos suricatos, os visitantes vêm regularmente ao Zoológico de Houston para ter a chance de observar animais exóticos de perto. Enquanto isso, a apenas alguns quarteirões de distância, um laboratório abriga um tipo de zoológico notavelmente diferente. Em vez de criaturas peludas e com penas em cercados, há milhares de amostras de sangue em um par de freezers cercados por dezenas de quadros brancos cobertos por equações matemáticas.

Este é o DNA Zoo, onde uma equipe de mais de trinta cientistas usa tecnologia genômica de ponta a serviço de aumentar as chances de sobrevivência de inúmeras espécies ameaçadas e mdashwork que também pode contribuir para a saúde humana. O laboratório adquiriu amostras genéticas de 4.234 animais representando 1.105 espécies, em grande parte obtidas em zoológicos e parques, incluindo o Zoológico de Houston, o Zoológico de San Antonio, o Sea World e o Aquário Estadual do Texas. Em 2019, eles abriram um laboratório equivalente na Austrália para se concentrar em espécies exclusivas daquele continente.

"Os humanos são essencialmente um dos experimentos da natureza", diz Erez Lieberman Aiden, fundador do Aiden Lab no Center for Genome Architecture do Baylor College of Medicine, que administra o DNA Zoo. & ldquoA natureza realizou muitos, muitos experimentos, e podemos aprender com os experimentos que a natureza realizou em outras espécies. & rdquo

Ao longo de cinco anos, começando em 2011, Aiden e sua equipe desenvolveram tecnologia que lhes permite sequenciar DNA em dias, em vez das semanas normais, e a um custo de centenas de dólares, em vez de centenas de milhares.

Demorou treze anos para sequenciar o genoma humano e outros quatro para o do milho, & ldquobut você acabou com uma qualidade de trabalho semelhante ao que o DNA Zoo está fazendo agora em questão de dias & rdquo diz Blake Hanson, um diretor associado de genômica microbiana no University of Texas Health Science Center em Houston.

Aiden, que construiu um modelo em escala de DNA para uma feira de ciências no ensino médio, lembra de ter ficado verdadeiramente fascinado durante a pós-graduação & mdashhe fez doutorado em Harvard e MIT & mdashwith como uma fita de DNA de até seis pés poderia dobrar dentro de uma única célula. Seus estudos levaram à tecnologia de mapeamento do genoma que ele apelidou de Hi-C (em homenagem à bebida de frutas, uma de suas favoritas) e Juicebox, software que facilita a montagem tridimensional de uma fita de DNA.

O sequenciamento do genoma requer a desmontagem e remontagem de fitas de DNA para compreender totalmente como cada um desses segmentos se relaciona entre si. Alguns segmentos são conhecidos como repetições ou regiões de baixa complexidade e são quase impossíveis de distinguir de outros. & ldquoSe você tem um quebra-cabeça que gosta de preto puro, torna-se muito difícil porque uma peça pode ir a qualquer lugar & rdquo Aiden diz. Os algoritmos integrados ao Hi-C e ao Juicebox permitem que sua equipe resolva esse quebra-cabeça descobrindo padrões sutis no DNA que, de outra forma, são extremamente difíceis de detectar.

Últimos de Critters

Os lobos vermelhos estão à beira da extinção, mas um programa de reprodução do Texas pode ajudá-los a retornar

Benji Is One Down Dog

Uma breve história dos tigres soltos no Texas, edição de 2021

Como agora, vaca fugida? E mais tarde, Gator. Dois bichos soltos rosnam o tráfego de Houston.

Guindastes estão aninhando no Texas pela primeira vez em mais de um século

A ascensão e queda (e ascensão de novo?) Da indústria de avestruzes do Texas

O trabalho do DNA Zoo & rsquos auxilia zoológicos e outros parques de vida selvagem em seus esforços de conservação. Por exemplo, a equipe de Aiden & rsquos sequenciou os genes de todos os elefantes no Zoológico de Houston, o que ajuda a determinar quais animais devem ser cruzados entre si para manter o pool genético diverso, evitando que os animais que acasalam sejam parentes muito próximos. “O DNA Zoo vai ser a única peça de que precisamos para preservar os genomas desses animais para levar adiante a ideia de conservação, mas é uma peça enorme nesse quebra-cabeça”, diz Hanson.

Além disso, ao disponibilizar publicamente sua coleção de genomas sequenciados, o DNA Zoo fornece dados vitais para pesquisadores que buscam combater doenças, tanto em animais quanto em humanos. Em 2015, Aiden e sua equipe ajudaram cientistas a mapear o DNA da espécie de mosquito que carregava o vírus Zika, uma epidemia na época. Aiden está entusiasmado com sua explicação de como a tecnologia genômica já está mudando a cara dos cuidados de saúde. "Literalmente, uma linha muito direta da liberação do genoma do vírus SARS-CoV-2 para a vacina", ele diz sobre como conhecimento semelhante foi implantado por outros na pandemia de COVID-19.

O DNA Zoo dificilmente é o primeiro programa a coletar amostras e armazenar sangue animal para estudos científicos. O Cryo-Zoo do MD Anderson Cancer Center, que colabora com o DNA Zoo, foi fundado pelo biólogo T.C. Hsu na década de 1970. Hsu foi um pioneiro no estudo dos cromossomos animais e os coletou de milhares de espécies. Quarenta anos atrás, a maioria dos zoológicos era muito menor e menos envolvida em esforços de conservação do que hoje. Como resultado, muitas amostras de animais tiveram que ser adquiridas na natureza, o que pode ser bastante difícil.

"Eles iam a lugares, como histórias clássicas de aventura", diz Olga Dudchenko, cofundadora do DNA Zoo. & ldquoAlguém ficaria preso em um barco por vários dias sem água e comida, tentando obter algumas células de algum roedor na África do Sul. & rdquo

Mesmo hoje, nem sempre é tão simples quanto tirar sangue de animais em zoológicos. Os cientistas às vezes precisam ser criativos. No caso da baleia franca meridional & mdashso nomeada porque os baleeiros a consideravam um bom alvo (ou seja, a baleia & ldquoright & rdquo para caçar), quase a caçando até a extinção no século XX & mdasht não há nenhuma em cativeiro. Então, como você obtém uma amostra de DNA de um animal de 18 metros e 90 toneladas nadando no oceano? Para fora da abertura. Assim como os humanos expelem DNA quando espirramos, as baleias o expelem quando respiram, e isso pode ser coletado por cientistas próximos.

Os esforços altamente técnicos do DNA Zoo são às vezes difíceis de explicar para o leigo, então o laboratório tem empregado abordagens mais realistas para alcançar a comunidade científica e o mundo em geral. Os membros do laboratório escrevem posts regulares sobre as novas sequências que concluíram, que contêm a linguagem complexa dos cientistas, mas também curiosidades sobre as espécies. Um post típico, em fevereiro, trazia uma adorável foto de um rato. & ldquo Pesando cerca de seis clipes de papel & rdquo, o texto explicava & ldquothe ameaçado Pacific pocket mouse (PPM), também conhecido como Perognathus longimembris pacificus está entre os menores roedores do mundo. & rdquo

O DNA Zoo produziu até uma história em quadrinhos chamada ChromoGnomes, desenhada por Adam Fotos, um artista de quadrinhos de Chicago. Conta a história de um par de gnomos tentando criar vários animais a partir de seu código genético, com vários graus de sucesso. O laboratório espera tornar o que eles fazem mais acessível para aqueles sem formação avançada em biologia e ciência da computação.

& ldquoSimilar com o que fazemos com as postagens de blog, podemos fazer isso de uma forma mais divertida e visual & rdquo Dudchenko diz. Até agora, eles publicaram apenas quatro capítulos da tira, embora mais sejam prometidos. & ldquoAcontece que escrever quadrinhos é mais difícil agora para nós do que criar conjuntos de genoma. & rdquo

Felizmente, a equipe de Aiden parece bastante habilidosa na montagem de sequências de DNA. Eles transmitem entusiasmo sobre aonde tudo pode levar, talvez até mesmo no que parece ser ficção científica. "O objetivo final é que, se lermos os genomas muito, muito bem, e provavelmente em alguns anos, seremos capazes não apenas de ler, mas também de gerar DNA", diz Dudchenko. & ldquoEm teoria, você pode recriar apenas a partir da semente, recriar espécies apenas a partir da sequência. & rdquo

Esta noção evoca imagens de Parque jurassico, o romance de Michael Crichton que imaginou um mundo onde os dinossauros poderiam ser replicados a partir do DNA de mosquitos mortos há muito tempo presos em âmbar. Pode algum dia não ser tão rebuscado como quando o livro foi lançado.

Recentemente, de fato, um grupo de cientistas que são colaboradores do DNA Zoo estabeleceu um recorde ao ler o DNA de uma amostra que foi estimada em um milhão de anos. & ldquoIt & rsquos não é como diríamos não a Parque jurassicode nível de DNA ”, diz Dudchenko. & ldquoÉ & rsquos um tópico muito interessante. & rdquo


Criaturas Cryptid: Os Dois Tipos Diferentes & # 8211 Parte 2

A parte 1 deste artigo começou da seguinte maneira: & # 8220Muito recentemente me perguntaram: quais criaturas criptográficas eu acredito serem sobrenaturais por natureza e quais eu acho que são animais que ainda não classificamos, mas que não são nada além de carne e criaturas de sangue? É uma pergunta boa e importante. Não há dúvida de que existem dois tipos de criptídeos em nosso meio. Dito isso, vamos primeiro dar uma olhada nessas criaturas distintamente diferentes. & # 8221 Aqui termina o trecho da parte 1. Foi focado em animais que eu acredito plenamente que existem, mas que têm nada a ver com o mundo do paranormal, como o Texas Chupacabra, Orang Pendek (um pequeno macaco visto em Sumatra), o Yeren (China & # 8217s equivalente ao Yeti) e Megalania, um grande, presumivelmente extinto, lagarto monitor encontrado na Austrália. Agora, porém, vou compartilhar com vocês alguns dos estranhos criptídeos que eu Faz acreditam ter aspectos sobrenaturais ligados a eles.

Começarei com aqueles controversos Homens-Cães que parecem nunca ir embora. Dê uma olhada no desenho dos animais e a primeira coisa que você vai pensar é um lobisomem. Exceto que quase não existe um caso de Cachorrão registrado que envolva alguém que se transforma em tal criatura (não que tal coisa seja possível). Quase exclusivamente, os Dogmen (e, presumimos, as Dogwomen também) parecem ser nada menos do que uma espécie de lobo ereto. Isso seria o suficiente para levantar as sobrancelhas da maioria das pessoas. Mas, o que acontece quando - ao estudar os casos - você tropeça em uma tendência muito curiosa: os Homens-Cães são vistos em locais sagrados, como montes antigos. Eles aparecem em encruzilhadas e velhas pontes. Cemitérios também. Todos esses são locais tradicionalmente ligados a atividades paranormais e entidades sobrenaturais. Na minha opinião, os Cães são definitivamente sobrenaturais por natureza. Agora, vamos dar uma olhada no Mothman.

Para muitos pesquisadores, o Mothman é visto como uma criatura de proporções puramente criptozoológicas. Outros consideram que o Mothman era (e, talvez, ainda é) algo de natureza definitivamente sobrenatural. Mas, para voltar ao assunto da pergunta que me foi feita, vamos ver o que as evidências, testemunhos e dados fornecem. Mas, primeiro é necessário um pouco de conhecimento sobre a estranha coisa alada. Pode haver poucas pessoas lendo isto que não tenham pelo menos ouvido falar do lendário Mothman de Point Pleasant, West Virginia, que tanto aterrorizou a cidade e a área circundante entre novembro de 1966 e dezembro de 1967, e cujas façanhas diabólicas foram narradas no sucesso de 2002 Filme de Hollywood estrelado por Richard Gere: The Mothman Prophecies, assim chamado após o livro de mesmo título escrito pela autoridade do Mothman, John Keel.

Como a história mostra, quando o Mothman foi visto em Point Pleasant, o mesmo aconteceu com os assustadores Homens de Preto. Não o MIB do tipo que Hollywood nos deu, mas aquelas & # 8220coisas & # 8221 pálidas, magras e de olhos esbugalhados que são claramente de origem sobrenatural. A atividade de Poltergeist foi relatada em casas de Point Pleasant. Strange Women in Black apareceu e aterrorizou os habitantes locais. E tudo culminou no colapso da Point Pleasant & # 8217s Silver Bridge em dezembro de 1967, e isso resultou na morte de dezenas de pessoas que infelizmente não conseguiram sair da ponte antes que ela caísse nas águas do rio Ohio. Quando coloco todas essas questões juntas, concluo que Mothman é, sem dúvida, algo sobrenatural. Agora, vamos dar uma olhada em outro monstro famoso (ou monstros): Nessie de Loch Ness, Escócia.

Por séculos, os monstros do Loch Ness têm atormentado o povo do Loch Ness. Isso fica claro nos contos dos kelpies do Loch Ness. É importante notar que nenhuma alma solitária acreditava que eles fossem animais normais, embora desconhecidos. Na verdade, a conclusão unânime foi que os kelpies eram monstros paranormais mortais que tinham a capacidade de alterar sua aparência física. Essas teorias e medos se estenderam até os anos finais do século 19 - e ressurgiram décadas depois, em grande parte graças ao trabalho do caçador de Nessie Ted Holiday. E ainda na questão dos anos finais de 1800, há o fato não insignificante de que ninguém menos que a "Grande Besta" Aleister Crowley viveu na Casa Boleskine de Loch Ness. Esse Crowley - deliberadamente, inadvertidamente ou um pouco dos dois - conjurou entidades sobrenaturais infernais e ajudou a criar um ar de ameaça maligna no lago, não pode ser negado e não pode ser sem relevância.

Outra coisa que não pode ser negada é o fato de que, quando o termo “Monstro de Loch Ness” foi criado na década de 1930, ele gerou uma infinidade de relatórios que descreveram os Nessies de maneiras extremamente variadas. Arthur Grant encontrou um monstro com nadadeiras distintas e pescoço longo. A famosa foto de Hugh Gray mostra uma criatura que praticamente não tem algum tipo de pescoço quanto à cabeça é em forma de bico. Lieutenant McP Fordyce’s monster had long legs (rather than flippers), walked on the land, and was somewhat hairy, rather than dark and serpent-like. Add to that the tusked and frog-like Nessies of earlier years and what we have is a modern incarnation of the old kelpie – a creature that could morph into multiple forms. The implication is obvious: the shapeshifting kelpies of old never really went away. They were merely upgraded for new generations and given a new name: Nessie.


Hallucigenia – the Primordial Spinal Creature from Attack on Titan – Anime Anthology

My crazy and unceremonious intro to the Anime Anthology series on this blog. Let’s start with the primordial spinal creature that started in all in the Attack on Titan series – Hallucigenia.

Please beware of general end game manga spoilers and the Ymir Fritz Founding Titan origin story.

So, let me tell you a little story real quick before I begin what may end up being the anthology series of a lifetime.

I started doing my family’s genealogy about 3 years ago.

Some of you may not believe this, but the furthest back I got officially was the 1100s. Meaning, I have the direct lineage, family trees published in Burke’s peerage, and documentation from accredited historical societies and museums to prove it.

Unofficially, I could probably go a few centuries further.

Because I have been reading my own ancestors’ personal histories in published biographies, hearing stories while contacting surviving family members, and investigating primary source documents from the time – I noticed some discrepancies.

Por exemplo: there is a certain event in an American history textbook I read in middle school that was briefly outlined. I had no clue the true reasons for this incident until I found out my actual ancestors were involved – but their names never made the ‘official’ sanitized public records.

Discovering this gave me a totally different perspective on what I had been told my entire life.

Since then, I’ve been reading various old documents, books, and etymology dictionaries along with general world histories. I’ve learned a lot, and unlearned many harmful things.

One of the main things I’ve learned, or believe I have – is the nature of our reality on this plane.

Because of the things I’ve encountered, these ‘secret histories’ caused a disconnect between this reality, and how I actually perceive things to be within me.

As such, almost everything I view – every single movie, every tv show, every anime – is an opportunity to uncover and witness illicit histories come to life.

And it’s been tearing me up inside, because I wasn’t sure how to start presenting this information.

So for a year now, I’ve been sitting on these ideas. Sitting on countless hours of research and sleepless nights, in the fear that I’d just sound crazy presenting these ideas to you all.

To say all of the things I’ve hidden in my heart for a while now.

I was supposed to start releasing things on Halloween, then I waited.

Then again just before that new Mulher maravilha movie came out, and once more when Ataque ao titã aired the episode detailing the Great Titan War.

There’s so much real-world history and actual tangible evidence for these things.

Map of Giant Reports in North America. Created by Cee Hall via Graham Hancock’s website.

America has the most pyramids, and mounds on this earth.

Most mounds contain the remains of Nephilim – or “giants”.

Their existence has been periodically covered up, to the point where if you even mention this once common notion in conversation you are laughed into oblivion.

There are a lot of great resources on this, but one book I recently picked up and am flipping through is called The Ancient Giants Who Ruled America: The Missing Skeletons and the Great Smithsonian Cover-Up by Richard J. Dewhurst.

I had almost given up on the idea of presenting the series, until a few nights ago when I started watching Aventura Bizarra de JoJo no Netflix.

Immediately, the Aztec stone mask caught my eye.

Because we had that kind of tech in America.

We had those types of rituals. Especially surviving depictions in codex that show the ritual sacrifice of foreigners who landed on American shores.

Codex Mendoza Facsimile Folio 65r (about 1542) – From The Essential Codex Mendoza by Frances F. Berdan and Patricia Rieff Anawalt

And after the Spaniard invasion and the overthrow of the aboriginals in the region, those fair-skinned “seafarer” foreigners that were once kept as slaves began to practice those rituals with specific variations.

General History of the Things of New Spain by Fray Bernardino de Sahagún: The Florentine Codex. Book II: The Ceremonies (1577) page 60

There were various cults throughout this new Aztec history divorced from the aboriginal inhabitants of the time. There were sacrifices, and other unspeakable brutalities.

So, I slowly started writing an article for this, to make that topic the unofficial soft opening to the Anime Anthology series.

Today after watching the latest AoT S4 episode – I went on Twitter where one of my followers sent me a link to a certain Reddit theory.

Over on the r/Titanfolk subreddit, someone had devised a well-written and thoughtful argument for why the Ataque ao titã series is actually an isekai.

And I’m going to be real with you – after the first three paragraphs I was sold.

Given what I now know about the ‘titans’ and other real-world history, it was already completely plausible to me that Ataque ao titã could take place in an alternate reality.

There is also the fact that I already believed in the existence of alternate universes and multiple timelines to take into effect.

I truly believe that shows like The OA have merit, and I do believe that CERN is up to something.

Then there are articles that pop up every now and again talking about scientists opening portals into a new dimension from ‘reputable’ news sources. Many people write these off as fantasy due to various mental and social conditionings since birth.

So…not much ever comes from the release of this type of information.

It also doesn’t help that the super collider shows up in Spiderman: Into the Spider-verse (a film about alternate realities) – which is what CERN is using to open portals to another dimension…allegedly.

The same type of super-secret “government” device was used in the 2013 video game Beyond: Two Souls.

So because I pulled an all-nighter last night and wanted to go to bed at a reasonable time, after reading that amazing AoT theory I headed upstairs.

I get to my room, turn on the tv and open up the YouTube app.

And the first video that is recommended to me is…

Hallucigenia: The worm with the missing head

Hallucigenia: The worm with the missing head – Copyright of Nature Video

And when I tell you this, I mean I really swear to you I have never looked up anything related to SnK chapter 137 on that YouTube account. The one I use on my tv and the one linked to my computer are two totally different things.

I do occasionally watch “live-action” animated and colored versions of the manga chapters, but it’s been a few weeks since I re-watched one.

I literally turned on the tv, opened the YouTube app, and was randomly presented with this video.

And judging by the comment section, I apparently wasn’t the only one.

So, all of these coincidences aside and five pages in – these events bring us to our first Anime Anthology entry: Hallucigenia – the Primordial Spinal Creature from the Ataque ao titã Series.

Almost immediately before clicking on the video to watch, I thought about the ‘sacred bloodworms’ from Sekiro: as sombras morrem duas vezes e a Mugen no Juunin series that sustain Manji’s immortality.

(There’s also someone on YouTube who has a really nice Sekiro: as sombras morrem duas vezes Lore Series I’d suggest you check out if you’re into this sort of thing.)

It also was not lost on me that unironically, the SnK chapter and the Hallucigenia video start out in a similar fashion:

No Shingeki no Kyojin Chapter 137, Zeke narrates how life began in their world.

Zeke Yeager narrates to Armin Arlert how (he believes) the world began. Shingeki no Kyojin manga Chapter 137 (9 legs for 9 different worlds?)

Enquanto o Hallucigenia: The worm with the missing head video takes a similar approach, stating:

“…Tell about 550 million years ago life on earth is pretty simple and then suddenly in geologically speaking in a very short period of time we see a huge explosion of body plans and types of animal appearing and lots of bizarre forms that are so different from modern animal life that are very hard to interpreting to recognize.”

Hallucigenia: The worm with the missing head

Hallucigenia Sparsa was first discovered amongst what is known as the Cambrian era “Burgess Shale fossil” quarries in Yoho National Park. The park is located in British Columbia, Canada on the continent of North America.

o classification etymology for this primordial creature is derived from the combination of the words ‘Hallucigenia’ and ‘sparsa’. Hallucigenia from the latin “hallucinatio, ‘wandering of the mind'” because its anatomy and sheer existence stumped researchers, and Sparsa for the latin “sparsus” to denote its rarity.

Another possible etymology for ‘Hallucigenia’could be “a seeing or hearing something which is not there.” Da mesma forma, Sparsuscould denote “to scatter, spread, shower” in reference to the many scattered memories later on in the manga series.

(This would also add credence to the proposed AoT isekai – alternate universe theory as Eren could be interpreted as having a very vivid dream – or ‘wandering of the mind’ throughout the series. Especially since the manga starts with Eren waking up from a ‘very long dream’.)

Eren Yeager dream parallels from ch 01 and 131 of the Shingeki no Kyojin manga.

Como Hallucigenia Sparsa is such an ancient creature, this would make sense that Eren Kruger refers to the Eldian founder Ymir Fritz “touching the source of all organic matter” in manga Chapter 88 and thus gaining her powers.

Eren Kruger tells Grisha Yeager about the ancestor of all Eldians – Ymir Fritz and how she gained her power. Shingeki no Kyojin manga Chapter 88

Looking back through the manga panels from when Ymir Fritz first encountered the spinal creature, it now makes sense that it latched onto her underwater.

Ymir Fritz and Hallucigenia meet. Shingeki no Kyojin Chapter 122

In regards to the spinal creature’s structure, scientists note:

So, it seems that the number of spikes, or spinal nodes can greatly differ depending on the individual creature, or maybe even others in the species genus possibly yet undiscovered.

There was a great difference between Eren Yeager’s founding titan and Ymir Fritz’ OG titan spinal spikes, after all.

Remember all of those online debates on how Eren’s founding was even moving and crossing the sea on basically stilts during the Rumbling?

One huge Hallucigenia. Eren Yeager’s founding titan form in Shingeki no Kyojin manga Chapter 129

Returning to the video one more time, there is a portion in both video and adjoining article where the researcher mentions the anatomy of the hallucigenia.

“A large balloon-like orb at one end of the specimen was originally thought to be the head, but we can now demonstrate that this actually wasn’t part of the body at all, but a dark stain representing decay fluids or gut contents that oozed out as the animal was flattened during burial.”

There was an error while studying the specimen where a dark stain representing decay fluids oozed out of the spinal creature.

King Fritz makes daughters Rose, Maria, and Sina ingest their mother Ymir’s corpse and spinal fluid. Attack on Titan Season 2 “Yuugure no Tori” ending.

Could this be where the idea to “drink the spinal fluid” and inherit titan powers came from in our story?

A seemingly random event in the manga explained away by actual science not many of us had a clue about…except, Isayama, of course.

Despite however the series ends in April, I believe Ataque ao titã has already cemented itself in history as one of the greatest of all time for this play alone.

Coupled with the use of cannibalistic Nephilim (‘titans’) and a few other things (like PATHS/alternate dimensions), I literally have no qualms with however he ends the series.

The only thing I still don’t agree with is Falco’s titans’ new found flight ability. That still feels like a severe asspull in that department.

Yes, PATHs and Zeke’s delicious spinal fluid wine make sense on how he inherited the memory but…still, just no.

I wouldn’t mind that AoT isekai alternate universe theory coming true, though. It’d be super interesting.

It even has a few parallels to our current story, especially concerning Historia and Eren – and him “saving” her at least once and keeping to himself the true reasons why.

If you’re interested, you can read the ‘Attack on School Castes’ manga panels from the various volume fake previews aqui.

I know this entry into the Anime Anthology series was a bit sloppy, but I was just super excited and happy to write it. I plan on revisiting this topic in the future anyway, once I gather more information.

This was just super spur of the moment on my part. Glad I got all of this out of my head before I went to bed, because I would have overthought the heck out of it tomorrow morning and probably not written this post at all.

It’s currently creeping into the wee morning hours here as I type this, so in a few hours I’ll try to come back and clean the article up after sleeping.

I’m going to be continuing on the AA series with Ataque ao titã and other anime, so if you found this interesting consider becoming a Patron on Patreon.

Your support will help me purchase more books, historical documents, and other materials necessary to keep this series going.

If that’s not up your alley, consider subscribing to my blog via email or follow on WordPress to stay updated for when the next entry in this series releases.

So – I know I dropped a lot on you just now. But…what do you think about all of this?

Do you think the Hallucigenia worm-like spinal creature really did inspire the design, backstory, and possibly overall premise of the founding titan in the Ataque ao titã universe?

Could Ataque ao titã really be an isekai anime series?

And what’s the deal with parallel universes – do you believe they really exist?

Tell me your thoughts to all of that and more in the comment section below – I’d love to hear from you! And any other suggestions, or ruminations that popped into your head while reading this.


Benthos

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

Benthos, the assemblage of organisms inhabiting the seafloor. Benthic epifauna live upon the seafloor or upon bottom objects the so-called infauna live within the sediments of the seafloor. By far the best-studied benthos are the macrobenthos, those forms larger than 1 mm (0.04 inch), which are dominated by polychaete worms, pelecypods, anthozoans, echinoderms, sponges, ascidians, and crustaceans. Meiobenthos, those organisms between 0.1 and 1 mm in size, include polychaetes, pelecypods, copepods, ostracodes, cumaceans, nematodes, turbellarians, and foraminiferans. The microbenthos, smaller than 0.1 mm, include bacteria, diatoms, ciliates, amoeba, and flagellates.

The variety and abundance of the benthos vary with latitude, depth, water temperature and salinity, locally determined conditions such as the nature of the substrate, and ecological circumstances such as predation and competition. The principal food sources for the benthos are plankton and organic debris from land. In shallow water, larger algae are important, and, where light reaches the bottom, benthic photosynthesizing diatoms are also a significant food source. Hard and sandy substrates are populated by suspension feeders such as sponges and pelecypods. Softer bottoms are dominated by deposit eaters, of which the polychaetes are the most important. Fishes, starfish, snails, cephalopods, and the larger crustaceans are important predators and scavengers.


Assista o vídeo: 10 Criaturas Gigantes Flagradas Por Câmeras (Novembro 2021).